5 de Maio: Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos.

Uma das categorias de produtos mais fáceis de se adquirir no mercado são as medicações, afinal, fazem parte de um gênero extremamente importante para a vida humana desde os tempos mais remotos.

Quando fazemos uma jornada pela história, descobrimos que já no Século X, na Espanha e na França,  surgiram as primeiras Boticas que, inicialmente, eram caixas de madeiras que eram levadas para vários lugares com os primeiros remédios.

Dando um salto expressivo, olhando para a cronologia histórica do nosso País, não podemos deixar de indicar que, embora boa parte da narrativa credite a chegada da Corte Portuguesa o início das atividades farmacêuticas no Brasil, os povos originais já faziam uso de plantas, ervas, raízes e afins que possuíam em sua natureza capacidades curativas e que até hoje fazem parte de princípios ativos de inúmeros medicamentos.

Já em nossa contemporaneidade, apesar de ser extremamente benéfica a disposição para a procura e o consumo dos produtos farmacológicos tão importantes à saúde, devemos enquanto profissionais da saúde, sinalizar o uso racional de medicamentos, ou seja, instruir a sociedade como um todo, a respeito da relevância em compreender os riscos da interação inadequada com as medicações, destacando sobretudo os cuidados necessários para se evitar que este uso indiscriminado não se converta em adoecimento.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o uso racional de medicamentos é considerado quando o paciente recebe os medicamentos correto à suas condições clínicas, em doses apropriadas às suas necessidades, por um período congruente. Contudo, é muito habitual nos depararmos com pessoas e situações onde se denota o uso irracional, como por exemplo: a automedicação ou uso excessivo que em muitos casos pode evoluir para quadros de intoxicação, dependência e em alguns episódios até a morte; a falta de cuidados com o armazenamento e o próprio descarte irregular dos fármacos e a não procura e recusa em notificar os possíveis eventos adversos oriundos do uso.

Seguramente, a melhor forma de garantirmos o uso racional das medicações é através do acompanhamento e prescrição médica, e o esclarecimento das dúvidas de como utilizar os medicamentos através dos farmacêuticos ou das equipes de saúde.

Fazendo seu uso corretamente, as medicações cumprem o seu papel que é de promover saúde e melhor qualidade de vida a todos que delas necessitam.

Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.