5 mitos sobre a saúde dos rins

Vamos falar sobre a saúde dos rins?

Aliás, você sabe qual a função dos nossos rins?

Todos os seres humanos possuem dois rins, glândulas com formato semelhante ao grão de feijão e com tamanho próximo ao de uma mão fechada. Localizados na região posterior do abdômen e ao lado da coluna vertebral, o rim direito encontra-se abaixo do fígado enquanto o esquerdo, está abaixo do baço.1

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, os rins possuem quatro funções:

  • Eliminar toxinas do sangue por um sistema de filtração;
  • Regular a formação do sangue e dos ossos;
  • Regular a pressão sanguínea;
  • Controlar o balanço químico e líquidos do corpo. 2

De uma maneira simplificada, os rins são o filtro do nosso corpo. Diariamente, eles filtram cerca de 120 a 150 litros de sangue para produzir 1 a 2 litros de urina. 1,2

Os rins estão entre os órgãos mais importantes para a sobrevivência de uma pessoa, juntamente com o cérebro, coração, pulmões e fígado. 1,2

Ainda que os rins sejam fundamentais para a saúde do nosso organismo, poucas pessoas sabem a função ou a importância desse órgão.

Segundo os dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia divulgados pelo site do hospital Hcor, um em cada dez adultos brasileiros possui algum tipo de doença renal crônica, sendo que 60% desconhecem essa situação. 3

A pesquisa “Como os brasileiros cuidam dos rins”, realizada pelo Grupo Abril com o apoio das farmacêuticas, AstraZeneca, Baxter e Bristol-Myers Squibb, traçou um panorama a respeito da saúde dos rins no Brasil. Com participação de 1885 pessoas de todas as regiões do país - 331 delas com alguma doença renal - a pesquisa revelou que os brasileiros, em muitos casos, desconhecem as doenças renais, o que resulta, por exemplo, 45% das vezes em um diagnóstico tardio de insuficiência renal.4

Viu só? A saúde dos rins é fundamental para o nosso organismo e a desinformação é um fator que pode contribuir para o surgimento de complicações.

Para ajudá-lo a conhecer um pouco mais sobre os rins, trouxemos 5 mitos populares sobre a saúde desse órgão.

Mitos sobre os rins

Beber muita água faz bem para os rins

Certamente, você já deve ter ouvido aquele dito popular “água nunca é demais”, mas cuidado, essa não é bem a verdade.

Acredite, o consumo excessivo de líquido pode ser, sim, prejudicial à saúde. Beber muita água pode provocar um desequilíbrio na concentração de eletrólitos (minerais responsáveis pelo transporte de água no organismo e nas células), principalmente o sódio. 5,6

A hidratação excessiva resulta em baixos níveis de sódio no sangue (hiponatremia), o que pode resultar em graves situações de intoxicação por água. 5,6

Parece até estranho ouvir falar sobre uma pessoa com intoxicação por beber água demais, mas isso realmente existe e os sintomas podem incluir dores de cabeça, fadiga, náusea, vômito e, em casos mais graves, pode levar à parada cardíaca. 5,6

A quantidade de água para uma boa hidratação pode variar para cada a pessoa. 5,6

Vale lembrar que em alguns casos de doença renal crônica poderá existir uma restrição da quantidade de líquido ingerido. Por isso, é importante consultar o médico e verificar a quantidade de consumo de água ideal para você.5,6

As doenças renais são incuráveis

Segundo a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica estima-se que 10 milhões de brasileiros sofram de alguma disfunção renal, tendo cerca de 90 e 100 mil pessoas passando por diálise. Desses pacientes, 70% descobrem a doença quando os rins já estão gravemente comprometidos. 7

Devido à descoberta tardia, muitas pessoas acreditam que doenças renais são sempre incuráveis, mas não é bem assim. Quando descobertas de forma precoce, algumas doenças podem, sim, ter cura. Em alguns casos, pode ser que o paciente necessite de tratamento para o resto da vida, como nos casos mais avançados.

Lembre-se: tudo dependerá da detecção precoce e do estado de saúde do paciente. 7

Por isso, é importante lembrar que a prevenção, o diagnóstico e o tratamento precoce das doenças renais são fundamentais para conter o avanço e oferecer chances de uma recuperação completa ao paciente. 7

Tomar leite aumenta as chances de pedras nos rins

A associação dos cálculos renais e o leite é antiga e, para compreender essa crença popular, é necessário entender o que são as famosas “pedras nos rins”.

O cálculo renal, também conhecido como pedra nos rins, é uma doença ocasionada pela formação de minerais no sistema urinário. Similar aos grãos de areia, eles se juntam no rim e forma pequenas pedras. 8

Os cálculos, essas pequenas pedras, podem ser classificados de acordo com sua localização no nosso sistema urinário e por sua composição. 8

Essas pequenas pedras podem ser de vários tipos.  Entre os mais comuns são de Oxalato de Cálcio, Ácido úrico Estruvita e Fosfato de Cálcio. Já com relação à localização, podem surgir nos rins, dentro do canal que leva a urina do rim à bexiga ou na própria bexiga. 8

Agora que vimos o que são e como são formados os cálculos renais, podemos voltar a falar sobre a associação das pedras com o consumo de leite.

Geralmente, os cálculos renais são compostos por cálcio e muitas pessoas associam a formação deles com a ingestão do leite e seus derivados. 9,10

No entanto, a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anaph) esclarece que, em 90% dos casos, os cálculos renais surgem devido a distúrbios metabólicos. Já os 10% restantes não têm uma causa definida, mas também não estão associados ao consumo de leite. 9,10

Muitos estudos, na verdade, revelam que o consumo de leite contribui para reduzir o risco de desenvolvimento de cálculo renal. 9,10

Chá de quebra-pedra ajuda a quebrar as pedras já existentes no rim

Você já ouviu falar no chá de quebra-pedra?

Esse talvez seja o tratamento caseiro mais comum quando falamos sobre cálculo renal. Na crença popular, esse chá possui um efeito de quebrar as pedras e ajudar a pessoa a expeli-las com mais facilidade do sistema urinário. 11

Diante de tais efeitos, nos últimos anos, diversos estudos foram realizados com as folhas da espécie vegetal Phyllantus Niruri, nome científico da planta, para testar os efeitos no organismo e combate ao cálculo renal. 11

Um estudo realizado pela Universidade Federal São Paulo (Unifesp) publicado na revista Fapesp revelou que o chá realmente tem efeitos positivos no combate às pedras no rim, mas, ao contrário do dito popular ele não “quebra” as pedras, ele contribui para que elas não se formem. 11

O chá impede a agregação dos cristais de oxalato de cálcio, ou seja, que eles se juntem. Sob sua ação, os cristais acabam não aderindo uns aos outros, evitando a formação de cálculos de maior dimensão. 11

Dessa forma, na prática, o chá de quebra pedra auxilia no processo de prevenção de cálculos renais e do crescimento das pedras já existentes.  

Cervejas ajudam a dissolver pedra nos rins?

Cerveja e cálculo renal é uma relação que possui muitos mitos e verdades.

Há quem diga que ajuda a prevenir, agravar e até dissolver as pedras nos rins. Não se preocupe! Vamos esclarecer esses mitos e verdades agora.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), por ser uma bebida diurética, a cerveja realmente ajuda a evitar a formação de cálculo renal. 12

O estudo publicado no Clinical Journal of American Society of Nephrology e mencionado no site da SBN, acompanhou 194 mil pessoas durante oito anos e revelou que os participantes que consumiram uma lata de cerveja por dia apresentaram 41% menos risco de ter pedra nos rins. Outras bebidas como vinho, café suco de laranja e chá também apresentaram resultados positivos na prevenção da formação do cálculo renal. 12

Já estudos realizados ao longo dos anos não comprovaram efeito positivo do consumo de cerveja na diluição dos cálculos renais já existentes em uma pessoa.  12

Esses foram os 5 principais mitos sobre a saúde dos rins. Será que você acreditava em alguns desses mitos?

Recorrer à internet para buscar informações é uma atitude que se torna cada vez mais corriqueira. Basta surgir uma dorzinha ali que já recorremos ao “Dr. Google” para um autodiagnóstico.

Lembre-se: saúde é coisa séria e nenhum site pode substituir um médico. Por isso, cuide da sua saúde e dos seus rins diariamente.

Caso você tenha alguma doença renal, antes de tudo, entenda seu diagnóstico e o seu tratamento. Converse com o seu médico e busque informações confiáveis, assim como essas aqui no site do FazBem.

Todos os nossos conteúdos são revisados por uma equipe especializadas, para levar mais segurança e informações de qualidade para você.

Quer saber mais sobre a saúde dos rins?

No blog do FazBem, você encontra muitos conteúdos para ajudar você com o seu tratamento e para sempre melhorar a sua saúde. Acesse o Blog e fique por dentro de tudo!

 

 

 

 

Referências
  1. https://opas.org.br/dor-nos-rins-conheca-as-principais-causas/
  2. https://www.sbn.org.br/o-que-e-nefrologia/compreendendo-os-rins/
  3. https://www.hcor.com.br/imprensa/noticias/hcor-promove-ciclo-de-palestras-no-dia-mundial-do-rim/
  4. https://blog.programafazbem.com.br/file.axd?file=/Arquivos/AF_book-saude-renal.pdf
  5. https://vidasaudavel.einstein.br/agua-em-excesso/
  6. https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-hormonais-e-metab%C3%B3licos/equil%C3%ADbrio-h%C3%ADdrico/hidrata%C3%A7%C3%A3o-excessiva
  7. http://www.sbpc.org.br/noticias-e-comunicacao/brasil-tem-10-milhoes-de-pessoas-com-disfuncao-renal/
  8. https://www.einstein.br/Pages/Doenca.aspx?eid=199#:~:text=Os%20c%C3%A1lculos%20renais%20s%C3%A3o%20formados,tamb%C3%A9m%20%C3%A9%20um%20fator%20importante.
  9. https://www.anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/identificar-a-causa-ajuda-a-reduzir-a-formacao-de-pedras-no-rim/
  10. https://hospitalhr.com.br/os-alimentos-que-ajudam-a-saude-dos-seus-rins/]
  11. https://revistapesquisa.fapesp.br/pedras-sob-controle/
  12. https://www.sbn.org.br/noticias/single/news/tomar-cerveja-evita-pedra-nos-rins/
BR-15405. Material destinado a pacientes. Nov/2021
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.