Asma e hipertensão possuem relação?

A asma e a hipertensão são doenças muito diferentes. A primeira é causada pela inflamação crônica das vias respiratórias, já a segunda é a elevação da pressão sanguínea nas artérias.

Muitas pessoas se perguntam se a asma tem alguma relação com hipertensão arterial ou se os medicamentos para asma podem ocasionar a hipertensão, mas não há evidências de uma correlação entre as duas doenças.

O que pode ocorrer é um paciente que possui asma, ao longo da vida, desenvolver problemas de hipertensão arterial, mas não por conta da asma.

Nesse caso, é necessário cuidados especiais e atenção para tratar as duas doenças, uma vez que o paciente terá que tomar medicação para as duas patologias e pode ocorrer a interação medicamentosa.

Quer saber mais detalhes sobre a asma e a hipertensão arterial?

Confira, ao longo texto, informações sobre o que é a asma e hipertensão, informações sobre o tratamento, como é o tratamento da hipertensão em pacientes que possuem asma e o que é uma interação medicamentosa.

O que é a asma?

A Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) estima que, no Brasil, existem aproximadamente 20 milhões de pessoas com asma.

Segundo o DATASUS, o banco de dados do Sistema Único de Saúde (SUS) ligado ao Ministério da Saúde, ocorrem, no país, em média 350.000 internações anualmente e a asma é a terceira ou quarta causa de hospitalização mais comum pelo SUS.

A asma é uma doença inflamatória crônica e variável. Isso quer dizer que ela não tem cura, mas tem tratamento e que, ao longo da sua vida, uma pessoa com asma pode apresentar os sintomas em intensidades diferentes.

 A asma pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • Sensação de aperto no peito;
  • Chiado no peito;
  • Tosse. 

A SBPT ressalta que esses sintomas podem variar durante o dia, podendo piorar à noite ou madrugada. Felizmente, com a melhor compreensão da doença por parte dos portadores e a distribuição de medicamentos para os pacientes, vem-se observando uma queda no número de internações e mortes por asma no Brasil. Em uma década, o número de internações por asma no Brasil caiu 49%. 3

Embora ainda não exista cura, existe tratamento para o controle da asma que, quando feito corretamente, melhora muito os sintomas, trazendo qualidade de vida semelhante à de qualquer pessoa que não tenha a doença.

A maioria dos pacientes com asma é tratada com dois tipos de medicação:

  • Medicação chamada controladora ou de manutenção que serve para prevenir o aparecimento dos sintomas e evitar as crises de asma;
  • Medicação de alívio ou de resgate, que serve para aliviar os sintomas quando houver piora da asma.

Como já falamos, a gravidade da asma pode variar muito durante a vida. Por esse motivo, é muito importante que o tratamento e sintomas sejam monitorados por um médico especialista e pelo próprio paciente.

Que tal saber mais sobre o tratamento da asma, informações sobre alimentação e exercícios físicos que podem agregar o seu tratamento e proporcionar uma melhora na qualidade de vida?

Confira informações importantes sobre os cuidados com a asma.

Hipertensão arterial, o que você precisa saber sobre essa a doença?

A Organização Mundial da Saúde estima que a hipertensão arterial afeta mais de 30% da população adulta em todo o mundo, ou seja, mais de um bilhão de pessoas.

 Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), atualmente, 33% dos brasileiros sofrem com a doença.

 A hipertensão arterial sistêmica (HAS), popularmente conhecida como pressão alta, é uma doença caracterizada pela elevação dos níveis de pressão arterial (PA).

 A pressão arterial é responsável por empurrar o sangue bombeado pelo coração, pelas artérias, levando o suprimento necessário aos demais órgãos. Quando a pressão está alta, o coração faz mais força para bombear o sangue.

 Essa força pode acarretar lesões nas paredes das artérias, que podem resultar em um derrame (acidente vascular cerebral), insuficiência cardíaca (coração grande ou fraco) e a insuficiência renal (uremia).

 A hipertensão merece cuidado, pois a doença pode levar a outras consequências graves, como outras doenças cardiovasculares. Ela também é uma das principais causas de doença renal que pode causar a paralisação dos rins.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, os níveis de pressão de 120/80 mmHg são considerados ideais para a população adulta. Quando essa pressão persiste maior que 140/90 mmHg, é considerada alta e um médico especialista dever ser consultado.

Na maior parte dos casos, a pressão alta não tem uma única causa bem definida e não apresenta sintomas, por isso, é considerada um inimigo invisível.

A hipertensão pode surgir em qualquer fase da vida e tem mais chances de se desenvolver em indivíduos com histórico de fatores de risco como o sobrepeso, tabagismo, sedentarismo, consumo de álcool e alimentação inadequada.

Os medicamentos que são utilizados no tratamento de hipertensão arterial são chamados anti-hipertensivos. Com a grande variedade de anti-hipertensivos disponíveis, a hipertensão arterial pode ser controlada em quase qualquer pessoa, mas, o tratamento tem de ser adaptado ao indivíduo. 

A maioria das pessoas tolera os medicamentos anti-hipertensivos prescritos sem problemas. No entanto, qualquer medicamento anti-hipertensivo pode causar eventos adversos.

Então, caso se desenvolvam eventos adversos, a pessoa deve procurar um médico para que ele possa ajustar a dose ou substituir o medicamento. Normalmente, um medicamento anti-hipertensivo deve ser tomado de acordo com a prescrição médica e, muitas vezes, para controlar a pressão arterial, o tratamento pode ser contínuo.

Interação medicamentosa

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a interação medicamentosa é definida como uma resposta farmacológica ou clínica à administração de uma combinação de medicamentos, diferente dos efeitos de dois agentes administrados individualmente.

Quando um paciente com asma descobre que possui, também, problemas com a pressão arterial e vice-versa, precisa tomar duas medicações com efeitos diferentes para controlar ambas as condições.

Vale ressaltar que existem diversas formas de interação medicamentosa, as mais comuns sendo:

  • medicamento-medicamento;
  • medicamento-alimento;
  • medicamento-bebida alcoólica;
  • medicamento-exames laboratoriais;

As interações medicamentosas também podem ocorrer entre medicamentos sintéticos, fitoterápicos, chás e ervas medicinais.

Por isso, durante uma consulta médica, quando o profissional perguntar se você está fazendo uso de algum medicamento, seja sintético ou natural, lembre-se de cada item. Afinal, sua resposta pode ser responsável pelo sucesso ou pelo fracasso do tratamento.

Chegamos ao fim desse texto, esperamos tê-lo ajudado a compreender o que é a asma e a hipertensão e que apesar de não terem associação é necessário ter cuidados e realizar o tratamento para às duas doenças corretamente.

Agora, que tal conferir como está a sua percepção sobre o uso da sua medicação de alívio?

O FazBem possui um teste que ajuda você e o seu profissional da saúde a terem uma percepção sobre como está o uso da medicação de alívio. Não perca essa oportunidade, faça o teste agora!

E, se você foi diagnosticado com hipertensão e não sabe como lidar com isso, temos um conteúdo perfeito para você, confira: Tenho hipertensão, e agora?

Compartilhe esse conteúdo, também, nas redes sociais.

 

 

 
Referências:
  1. https://blog.programafazbem.com.br/post/hipertensao-e-coisa-seria-tudo-que-voce-precisa-saber
  2. https://blog.programafazbem.com.br/post/entendendo-a-asma-e-a-importancia-do-tratamento-continuo
  3. https://sbpt.org.br/portal/publico-geral/doencas/asma-perguntas-e-respostas/
  4. https://www.paho.org/pt/campanhas/dia-mundial-da-hipertensao-2020
  5. https://www.prorim.org.br/blog-noticias/populacao-deve-ter-cuidado-com-a-pressao-alta/?gclid=Cj0KCQjwpdqDBhCSARIsAEUJ0hN5ALKKhnAgnSO0ND1xk4kqReArPOzGBzmWuhBuB2dqTu002cli-rkaAoPbEALw_wcB
  6. https://www.sbn.org.br/orientacoes-e-tratamentos/doencas-comuns/hipertensao-arterial/
  7. https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-do-cora%C3%A7%C3%A3o-e-dos-vasos-sangu%C3%ADneos/hipertens%C3%A3o-arterial/tratamento-farmacol%C3%B3gico-da-hipertens%C3%A3o-arterial
  8. https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-do-cora%C3%A7%C3%A3o-e-dos-vasos-sangu%C3%ADneos/hipertens%C3%A3o-arterial/tratamento-farmacol%C3%B3gico-da-hipertens%C3%A3o-arterial
  9. https://www.spdm.org.br/blogs/farmacia/item/2435-voce-sabe-o-que-e-interacao-medicamentosa
  10. https://www.hipolabor.com.br/blog/hipolabor-explica-voce-sabe-o-que-e-interacao-medicamentosa/#:~:text=Intera%C3%A7%C3%A3o%20medicamentosa%20do%20tipo%20medicamento,reduzindo%20o%20seu%20efeito%20terap%C3%AAutico.
BR-12612. Material destinado a pacientes. Maio/2021
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.