Como o refluxo gastroesofágico e a asma podem se relacionar?

Você, em algum momento da vida, já sentiu relação dos seus sintomas de refluxo com os de asma? Você não precisa se assustar caso tenha acontecido. É comum que algumas doenças se relacionem. Para isso acontecer, depende de como os sintomas reagem no seu organismo e como você reage e administra o seu tratamento.

Para abordamos esse assunto, hoje, vamos falar sobre como o refluxo gastroesofágico e a asma acabam se relacionando. Se você já tem a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e já sentiu algum sintoma de asma, continue lendo o texto para descobrir por que isso acontece.

O refluxo gastroesofágico

A doença do refluxo gastroesofágico é um distúrbio digestivo que afeta um músculo da parte inferior do esôfago, que é o órgão responsável por levar o alimento ao estômago. A sensação causada pelo refluxo do suco gástrico ácido, geralmente, é uma queimação conhecida como azia.

É um dos diagnósticos mais comuns na gastroenterologia, afetando cerca de 12% a 20% da população brasileira, segundo a Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia.

É mais comum em idosos, obesos e mulheres grávidas, mas pode acontecer com qualquer pessoa, inclusive com bebês.

 Leia também: Doença do refluxo gastroesofágico a importância do controle para evitar crises

 Algumas coisas podem piorar os sintomas do refluxo, como bebida alcoólica em excesso, obesidade, tabagismo, hérnia de hiato, alimentos picantes, comidas gordurosas ou frituras, entre muitos outros fatores para os quais você deve ter atenção e perguntar ao seu médico.

Existe uma importante relação entre a asma e o refluxo. De acordo com a Associação Brasileira de Asmáticos, cerca de 15 a 40% de pessoas com asma apresentam sintomas de refluxo, sendo que a prevalência do refluxo em pessoas com asma é maior do que em pessoas sem asma.

Entenda um pouco da asma

Atualmente, há cerca de 235 milhões de pessoas com asma no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A asma acontece por uma inflamação das vias aéreas, causando sintomas como falta de ar, sensação de aperto no peito, peito pesado, dificuldade para respirar, chiado no peito e tosse.

 Leia também: Entendendo a asma e a importância do tratamento contínuo

 Esses sintomas variam durante o dia e podem piorar bastante durante a noite. Pode ser que os seus sintomas sejam leves ou mais graves, por isso, é importante sempre manter o tratamento e consultas frequentes. Apesar de não haver cura, é possível tratar a asma e viver bem com ela!

Os médicos procuram a DRGE como causa da asma quando:

  • A asma começa na idade adulta;
  • A asma não melhora com tratamentos e medicamentos adequados;
  • Os sintomas da asma pioram após as refeições, com exercícios ou quando se deita.

Relação entre refluxo gastroesofágico e a asma

Sabe-se que o refluxo ácido pode piorar a asma e a asma pode piorar o refluxo ácido, mas não se sabe ao certo o porquê isso acontece. Para evitar isso, é importante evitar, também, os gatilhos do refluxo como alimentos gordurosos, álcool e o tabaco.

O refluxo pode estar desencadeando a asma no seu organismo porque o ácido que volta para o esôfago pode irritar as terminações nervosas e gerar sinais para o cérebro, que responde com impulsos aos pulmões para estimular a produção de muco nas vias respiratórias que se contraem e podem resultar em alguns sintomas de asma.

Alguns medicamentos para asma também podem fazer com que o músculo inferior do esôfago relaxe, o que pode piorar ou desencadear o refluxo. Claro que isso não quer dizer que você deve parar de tomar os seus remédios caso você tenha asma, mas procurar o seu médico e pedir auxílio a ele nesse processo.

Diagnóstico e tratamento

É o seu médico quem deve fazer o diagnóstico correto do seu problema. Para isso, é necessário monitorar e registrar os sintomas durante um certo período.

O tratamento do refluxo pode ajudar a evitar a asma. O tratamento correto para você vai ser passado pelo seu médico, que deve explicar corretamente o seu problema e passar medicamentos e todos os detalhes do seu tratamento para que você siga. Algumas formas de prevenir complicações do refluxo são:

  • Seguir uma boa dieta recomendada pelo médico;
  • Se o médico passar medicamentos, usá-los corretamente;
  • Comer refeições menores;
  • Parar de fumar;
  • Evitar o sobre-peso;
  • Evitar deitar-se após refeições;
  • Tentar jantar mais cedo;
  • Não usar roupas muito apertadas na região do abdômen;

Leia também: Receitas saudáveis FazBem

 É sempre importante conversar com seu médico sobre seus sintomas. Caso seja necessário, é ele quem vai encaminhar você para um especialista que identificará se você está ou não com asma.  

O importante é sempre se manter atento a todos os sintomas relacionados a essas duas doenças, fazer consultas frequentes com um médico e sempre manter o seu tratamento como uma rotina. Assim, você consegue viver melhor e cuidar bem desses dois problemas.

 
 
 
Referências:
https://asthmaandallergies.org/asthma-allergies/asthma-and-gastroesophageal-reflux-disease/
https://sbpt.org.br/portal/espaco-saude-respiratoria-asma/
http://www.abrasaopaulo.org/publicacoes.asp?codigo=31
http://www.isc.ufba.br/segundo-oms-asma-atinge-235-milhoes-de-pessoas-no-mundo/
https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/asthma/expert-answers/asthma-and-acid-reflux/faq-20057993
http://www.sbmdn.org.br/doenca-do-refluxo-gastroesofagico-drge/
https://www.cedars-sinai.org/health-library/diseases-and-conditions/a/asthma-with-gastroesophageal-reflux.html
BR-13231. Material destinado a pacientes. Jun/2021
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.