Dezembro laranja: saiba como identificar e prevenir o câncer de pele

 

Você conhece a campanha dezembro laranja?

Dezembro é o mês de conscientização e prevenção ao câncer de pele. Essa é uma mobilização nacional que busca alertar a população para os perigos do câncer de pele. A cor laranja foi escolhida por remeter ao sol, bronzeamento e por ser o símbolo da luta contra esse tipo de câncer.

O câncer de pele é o mais frequente no mundo. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se 85.170 casos novos de câncer de pele não melanoma entre homens e, 80.410 nas mulheres para cada ano do biênio entre 2018 e 2019.

Vale lembrar que nem todo câncer de pele é igual, mas a conscientização e prevenção é a mesma para todos. Por isso, reunimos informações importantes sobre o câncer de pele e recomendações de como se prevenir.

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com a camada afetada, é que se identifica os diferentes tipos de câncer.

O câncer de pele é causado, principalmente, pela alta exposição ao sol e às câmaras de bronzeamento. A doença aparece em forma de tumor, onde as células que compõem a pele crescem de uma maneira exagerada.

Este é o tipo de câncer mais frequente no Brasil e no mundo e a maioria das pessoas atingidas estão acima dos 40 anos, segundo o Ministério da Saúde.

Existem vários tipos de câncer de pele, que podem se desenvolver de diversas formas. Como dito anteriormente, as células crescem de forma desordenada e, de acordo com a camada da pele que foi afetada pela doença, é determinado o seu tipo, dos quais podemos classificá-los em:

Câncer de pele melanoma

O câncer de pele melanoma tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele) e é mais frequente em adultos brancos. Porém, nas pessoas negras também é possível que apareça nas partes mais claras do corpo, como as palmas das mãos e as plantas dos pés.

Esse tipo de câncer pode atingir qualquer parte do corpo, mas geralmente aparece nas mucosas ou na pele, em forma de manchas e pintas. O melanoma é considerado o tipo mais perigoso, pela alta possibilidade de se espalhar para outros órgãos. Ele representa 3% das neoplasias malignas do órgão e tem alta possibilidade de provocar metástase (disseminação do câncer para outros órgãos).

O prognóstico desse tipo de câncer pode ser considerado bom se detectado em sua fase inicial. Nos últimos anos, houve grande melhora na sobrevida dos pacientes com melanoma, principalmente devido à detecção precoce do tumor e à introdução dos novos medicamentos imunoterápicos.

Câncer de pele não melanoma

Este outro tipo de câncer de pele é o mais comum no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país, segundo o INCA.

Apesar de ser o tipo mais comuns de câncer no Brasil, ele também apresenta altos percentuais de cura, principalmente quando detectado e tratado precocemente.

No câncer não melanoma há a aparição de diferentes tipos de tumores.

Os mais frequentes são:

  • O carcinoma basocelular: este é o mais comum e o menos agressivo: se caracteriza por uma lesão, que pode ser ferida ou nódulo, e apresenta uma evolução lenta;
  • Carcinoma epidermoide: também surge por meio de uma ferida ou sobre uma cicatriz, principalmente aquelas decorrentes de queimadura. A maior gravidade do carcinoma epidermoide se deve à possibilidade de apresentar metástase (espalhar-se para outros órgãos).

Conhecer os tipos de câncer de pele e suas características é extremamente importante para sua detecção precoce.

Por isso, ser o detetive do próprio corpo é importante e pode prevenir muitas doenças. O autocuidado, deve ser adotado como um hábito. Ter conhecimento sobre o próprio corpo pode ajudar a identificar algo que possa estar errado.

Confira alguns sintomas que podem te ajudar na hora de praticar o auto cuidado e identificar algo suspeito em pintas, manchas ou sinais na pele:

  • Assimetria: uma metade do sinal é diferente da outra;
  • Bordas irregulares: contorno mal definido;
  • Cor variável: presença de várias cores em uma mesma lesão (preta, castanha, branca, avermelhada ou azul);
  • Diâmetro: maior que 6 milímetros;
  • Evolução: mudanças observadas em suas características (tamanho, forma ou cor).

Observe seu corpo. Principalmente as áreas que são mais expostas ao sol (pescoço, rosto e orelhas). Vale lembrar que nem toda pinta é câncer. As sardas, por exemplo, nunca se transformarão em câncer.

Na maior parte das vezes, as alterações na pele não são causadas por câncer, mas é importante que elas sejam investigadas por um médico.

Evitar a exposição excessiva ao sol e proteger a pele dos efeitos da radiação UV são as melhores estratégias para prevenir o surgimento dos tipos de câncer de pele.

Isso não quer dizer que você não deva tomar sol, mas evitar a exposição ao sol nos horários das 10 às 16h, que é quando os raios são mais intensos, uma vez que o maior fator de risco para o seu surgimento é a sensibilidade ao sol.

Confira algumas das recomendações do Instituto Nacional do Câncer.

  1. Evitar exposição prolongada ao sol entre 10 e 16h;
  2. Procurar lugares com sombra;
  3. Usar proteção adequada, como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas;
  4. Aplicar na pele, antes de se expor ao sol, filtro (protetor) solar com fator de proteção 15, no mínimo;
  5. Usar filtro solar próprio para os lábios.

Lembre-se que, caso você note algo diferente com o seu corpo ou houver suspeita de alguma doença, procure um médico da especialidade.

Ele será essencial para diagnosticar o seu problema e indicar o melhor tratamento para o seu caso. Não é recomendado, em nenhuma hipótese, a automedicação ou a utilização de receitas caseiras, pois podem agravar a situação.

 

 

 

 

Referências:
https://www.inca.gov.br/noticias/no-dezembro-laranja-inca-lembra-que-e-preciso-prevenir-o-cancer-de-pele
http://www.sbd.org.br/dezembroLaranja/noticias/campanha-dezembro-laranja-confira-dicas-para-se-proteger-do-sol-e-evitar-o-cancer-de-pele/
https://www.inca.gov.br/assuntos/cancer-de-pele
https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pelenao-melanoma
https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pelemelanoma 
BR-11150.Material destinado a pacientes. Nov/2020
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.