Diabetes gestacional: o que é, sintomas e diagnóstico

gravida-consulta-online-diabetes gravida-consulta-online-diabetes

 Você já ouviu falar sobre Diabetes Gestacional?

Durante a gravidez, as mulheres costumam redobrar a atenção e os cuidados com a saúde, afinal, seu corpo está gerando uma nova vida.

No entanto, algumas vezes as mulheres acabam se deparando com complicações como o diabetes gestacional, que pode acometer qualquer mulher, especialmente as que possuem maiores fatores de risco.

Segunda a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), o diabetes gestacional é o problema metabólico mais comum na gestação e acomete de 3 a 25% das gestações.

Caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue durante a gravidez, o diabetes gestacional pode trazer complicações a saúde da mulher e do bebê.

Se você tem dúvidas sobre o tema, está no lugar certo!

Confira, ao longo do texto, alguns detalhes sobre o que é a diabetes gestacional, a causa da doença, como é feito o tratamento e muitas outras particularidades sobre a doença.

O que é a diabetes gestacional?

O diabetes gestacional é uma doença que afeta a forma como as células utilizam a glicose (açúcar), provocando níveis elevados desta substância no sangue, o que pode afetar a gravidez e a saúde do bebê.

Esse tipo de diabetes surge durante a gravidez e costuma desaparecer após o nascimento do bebê.

O que ocorre é que, durante a gestação, as mulheres sofrem algumas adaptações na produção hormonal para permitir o desenvolvimento do bebê. Dessa forma, a partir do segundo trimestre de gravidez, o bebê começa a ficar maior e a mãe precisa de mecanismos protetores contra hipoglicemia, pois o consumo de glicose pelo feto torna-se mais intenso.

Essa proteção surge por meio dos hormônios produzidos naturalmente pela placenta, como estrogênios, progesterona e somatomamotropina coriônica, que agem diminuindo o poder de ação da insulina, fazendo com que a glicose fique disponível na corrente sanguínea.

No entanto, em algumas mulheres, esse processo não ocorre da forma desejada.

O efeito anti-insulínico desses hormônios precisa ser tão intenso que, no final da gestação, o pâncreas da mãe precisa produzir até 50% mais insulina para evitar que ela fique com hiperglicemia.

O diabetes gestacional surge exatamente nas gestantes que não conseguem aumentar a ação da insulina para compensar os efeitos hiperglicemiantes dos hormônios da gravidez.

É importante lembrar que o diabetes gestacional pode ocorrer em qualquer mulher e os sinais só costumam surgir a partir da metade do segundo trimestre, em geral, após a 20ª semana de gestação.

Quais os sintomas?

Ao contrário das outras formas de diabetes, o diabetes gestacional não costuma provocar sintomas.

Por isso, a realização de exames laboratoriais de rastreio a partir da 20ª semana da gestação é importante. Sem esse rastreio não será possível realizar o diagnóstico e tratamento correto na gestante, gerando risco para a mão e bebê.

Quer saber mais sobre diabetes? No blog do FazBem você encontra muitas matérias sobre o tema e como você pode cuidar da sua saúde. Confia agora tudo que você precisa saber sobre a diabetes.

Risco do diabetes gestacional para a saúde

Quando o diabetes na gestação não é bem controlado, há probabilidade de causar problemas sérios durante a gravidez e, posteriormente, para a saúde do bebê. [4]

Bebês cujas mães têm diabetes tendem a ser maiores que aqueles nascidos de mulheres sem diabetes. Se o diabetes for mal controlado, os bebês podem ser particularmente grandes. Consequentemente, é possível que seja necessário um parto por cesariana. Além disso, os pulmões do feto tendem a se desenvolver mais lentamente. [4]

Os recém-nascidos cujas mães têm diabetes apresentam um risco maior de ter níveis baixos de glicemia e de cálcio e uma alta concentração de bilirrubina no sangue. [4]

Quando o bebê é exposto a grandes quantidades de glicose ainda no ambiente intrauterino, além do crescimento fetal excessivo (macrossomia fetal) os riscos de obesidade e diabetes na vida adulta também aumentam. [4]

Diagnóstico e Tratamento

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, não há um consenso na literatura sobre a indicação do rastreamento e sobre o método de diagnóstico do diabetes gestacional.

A forma mais comum, entretanto, é o diagnóstico feito por exames de sangue para medir os níveis de glicose no sangue.

A melhor maneira de confirmar o diagnóstico de diabetes é um exame feito em duas etapas, que inicia com a ingestão de uma bebida contendo glicose. Uma hora depois da mulher ingerir a bebida, o médico coleta e analisa amostras de sangue para determinar se o nível de glicose no sangue se torna excepcionalmente elevado.

Se o resultado estiver excepcionalmente elevado, ela recebe outra bebida com uma quantidade ainda maior de glicose. O nível de glicose no sangue é medido novamente depois de três horas. Se o resultado continuar excepcionalmente elevado, é feito um diagnóstico de diabetes. Esse exame é chamado de teste oral de tolerância à glicose (TOTG).

Como é feito o tratamento do diabetes gestacional?

Em cada caso, o médico da gestante é quem vai determinar o melhor tratamento a ser seguido, sempre de acordo com os exames feitos e periodicidade para avaliar a curva glicêmica.

Na maioria dos casos, o tratamento é baseado em:

 

  • Monitoramento da mulher e do bebê;
  • Dieta, exercícios e, em alguns casos, medicamentos para controlar o nível de glicose no sangue;
  • Utilização de kit de glucagon (para os casos em que a glicose no sangue fique muito baixo).

Para reduzir o risco de complicações, o médico geralmente:

  • Inclui a participação de uma equipe especializada em diabetes (incluindo enfermeiros, nutricionista e assistentes sociais) e um pediatra;
  • Diagnostica e trata eventuais complicações relacionados à gravidez, não importando quão triviais eles sejam;
  • Planeja o parto, no qual um pediatra experiente estará presente;
  • Garante que haverá cuidados intensivos à disposição do recém-nascido (se necessário). (4)

A diabetes gestacional tem cura?

A boa notícia é que, na maioria dos casos, o diabetes desaparece espontaneamente após o nascimento do bebê, porém essas mães apresentam elevado risco de desenvolver diabetes tipo 2 ao longo da vida caso não controlem seu peso, dieta e não pratiquem atividades físicas de forma regular.

Caso você tenha sido diagnosticada com diabetes gestacional, converse com o seu médico e confira todas as orientações para que você mantenha a sua saúde e qualidade de vida durante a gestação e após o parto.

Confira também outros detalhes sobre a diabetes e mantenha-se informada sobre os cuidados necessários com a alimentação e a saúde para garantir uma melhor qualidade de vida. Visite o blog do fazbem.

 

 

 

 
Referências
  1. https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/pdf/diabetes-gestacional/001-Diretrizes-SBD-Diabetes-Gestacional-pg192.pdf
  2. https://www.mdsaude.com/gravidez/diabetes-gestacional/
  3. https://www.diabetes.org.br/publico/diabetes-gestacional
  4. https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-feminina/gravidez-complicada-por-doen%C3%A7a/diabetes-durante-a-gesta%C3%A7%C3%A3o
  5. https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/pdf/diabetes-gestacional/001-Diretrizes-SBD-Diabetes-Gestacional-pg192.pdf
  6. https://dmsjournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13098-019-0406-1
 
BR-12400. Material destinado a pacientes. Maio/2021
 
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.