DPOC em jovens: em que idade começam a aparecer os sintomas?

 

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) está entre as quatro principais causas de morte no mundo, quando não diagnosticadas e tratadas previamente.

 Apesar de ser mais comum em pessoas com mais de 65 anos de idade, algumas pesquisas recentes, como do NIH (Centro nacional de biotecnologia dos Estados Unidos) e da ERS (Sociedade de Respiração Europeia), têm demonstrado que o diagnóstico da DPOC em jovens entre 20 e 45 anos também pode acontecer.

No texto de hoje, vamos conversar um pouco mais sobre essa condição e sobre alguns fatores de risco que podem estar relacionados ao desenvolvimento da DPOC em jovens.

O que é DPOC?

A DPOC é uma Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica que causa obstrução do fluxo de ar dos pulmões. Embora a DPOC seja progressiva com piora da condição ao longo do tempo, é uma doença tratável. Com o manejo adequado, a maioria das pessoas com DPOC pode alcançar um bom controle dos sintomas e manter uma boa qualidade de vida, bem como redução do risco de outras condições associadas como problemas no coração, pressão alta e até câncer de pulmão.

Sintomas da DPOC

Entre os sintomas respiratórios mais comuns estão:

 

Pessoas com DPOC também têm probabilidade de apresentar episódios chamados de crises, durante os quais seus sintomas se tornam piores do que a variação normal do dia a dia e persistem por alguns dias.

Possíveis causas da DPOC em jovens

Apesar de a principal causa do desenvolvimento da DPOC ser o tabagismo, alguns outros fatores também podem influenciar, especialmente, quando estamos falando de pessoas que começam a ter os sintomas e são diagnosticadas em idades mais jovens.

Veja algumas das possíveis causas e fatores de risco que aumentam a chance de desenvolvimento da DPOC:

 

A probabilidade de se ter DPOC está totalmente ligada ao ato de fumar. A chance de ter essa (e muitas outras doenças) aumenta o quanto mais você fuma em quantidade e em período.

Um estudo do Ministério da Saúde mostrou que 18,5% dos adolescentes entre 12 e 17 anos já tiveram contato com o cigarro. Desses, 80% podem se tornar tabagistas e entrar para o grupo de risco da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).

Mesmo assim, enxergar as consequências do cigarro ainda na juventude é muito difícil, mas a partir dos 40 anos, os sinais da DPOC podem ser mais agressivos e começam a comprometer a qualidade de vida.

É muito comum que, inicialmente, a falta de ar só se manifeste durante esforços físicos e a pessoa nem desconfia que pode ser um sinal de um problema mais grave. Assim, ela acaba demorando muito para buscar um médico especialista e um diagnóstico.

Por isso, se você fuma, os primeiros passos ao ter esse tipo de sintomas, é procurar um pneumologista e parar de fumar imediatamente.

Essa pode ser uma tarefa muito difícil, mas você pode contar com o apoio do seu médico, grupos de apoio, família e amigos.

É importante ressaltar que fumantes de cachimbo, de charuto, cigarros eletrônicos e narguilé também podem estar em risco, assim como pessoas expostas a grandes quantidades de fumo passivo.

 

Quando falamos de DPOC em pessoas mais jovens, existe um grupo especialmente vulnerável - aqueles com uma condição genética rara chamada deficiência de alfa-1 antitripsina, que torna os pulmões (e fígado) incrivelmente sensíveis a danos e pode resultar em um diagnóstico de DPOC com menos de 30 anos, mesmo no caso de pessoas não fumantes e saudáveis.

Se você for uma dessas pessoas e apresentar sintomas de DPOC abaixo dos 40 anos de idade, é provável que o seu médico faça uma triagem para essa condição.

O problema é que muitas pessoas não sabem que têm o gene até que a DPOC seja diagnosticada. No entanto, se você tem familiares com DPOC, corre um risco maior de ser um portador de um gene e vale a pena ficar de olho.

 

Ser um paciente com asma e fumar pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de DPOC.

Embora não vejamos DPOC em crianças, os médicos já começaram a perceber que crianças com asma podem estar em risco de DPOC mais tarde na vida por causa das alterações pulmonares resultantes da asma, especialmente, em casos em que a asma não é tratada corretamente.

Quando procurar um médico?

 Ok, agora você já conhece alguns dos fatores de risco e já deve saber se você se encaixa ou não nesse cenário, mas a dúvida é: quando é a hora de procurar um médico?

  • Consulte um clínico geral ou pneumologista se tiver os sintomas da DPOC que citamos acima de maneira persistente, especialmente se você for fumante ou se costumava fumar.
  • Não ignore os sintomas! Se eles forem causados ​​pela DPOC, é melhor começar o tratamento o mais rápido possível, antes que seus pulmões sejam significativamente danificados.
  • Se você já tiver algum problema respiratório, fale com o seu médico se os sintomas não melhorarem ou piorarem com o tratamento, ou se notar sintomas de uma infecção, como febre ou alteração na expectoração.
  • Procure atendimento médico imediatamente se você não conseguir recuperar o fôlego, se perceber as unhas ou lábios azulados, batimento cardíaco acelerado ou se sentir neblina e dificuldade para se concentrar.

Diagnóstico de DPOC

Seja em idade mais avançada ou um jovem, o médico irá perguntar sobre seus sintomas e se você fuma ou já fumou no passado. Eles podem organizar um teste de respiração para ajudar a diagnosticar a DPOC e descartar outras doenças pulmonares, como a asma.

 O teste de respiração, ou espirometria, é o exame que mede o volume de ar e a rapidez que uma pessoa pode inspirar e expirar.

 Uma vez que o diagnóstico é confirmado, você poderá decidir, junto com o seu médico, qual será a melhor abordagem para o seu tratamento. O primeiro passo para preservar sua qualidade de vida é a mudança de hábitos. Abandonar o cigarro, ter uma rotina de alimentação e atividades físicas mais saudável e apropriada são alguns exemplos.

Saiba mais sobre os tratamentos para DPOC!

Além da mudança no estilo de vida, fazer o uso correto do medicamento indicado pelo médico especialista é essencial para combater as infecções, aumentar o intervalo entre as crises e melhorar a sua qualidade de vida.

Você também pode contar com os conteúdos do FazBem para apoiá-lo nessa jornada!

 

 

 

Referências:
Marco R, Accordini S, Cerveri I, Corsico A, Sunyer J, Neukirch F, et al. An international survey of chronic obstructive pulmonary disease in young adults according to GOLD stages. Thorax. 2004;59(2):120-5.
https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/copd/symptoms-causes/syc-20353679
https://www.nhs.uk/conditions/chronic-obstructive-pulmonary-disease-copd/
https://www.healthline.com/health/copd/age-of-onset
http://pneumoblog.org.br/?p=1940#:~:text=Estudo%20recente%20do%20Minist%C3%A9rio%20da,Pulmonar%20Obstrutiva%20Cr%C3%B4nica%20(DPOC).
Disease progression in young patients with COPD: rethinking the Fletcher and Peto model - Pablo Sanchez-Salcedo, Miguel Divo, Ciro Casanova, Victor Pinto-Plata, Juan P. de-Torres, Claudia Cote, Carlos Cabrera, Jorge Zagaceta, Roberto Rodriguez-Roisin, Javier J. Zulueta, Jose Maria Marin, Bartolome Celli - European Respiratory Journal 2014 44: 324-331; DOI: 10.1183/09031936.00208613. Disponível em: https://erj.ersjournals.com/content/44/2/324 -
https://www.health.com/condition/copd/young-and-short-of-breath-could-it-be-copd
Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD) https://goldcopd.org/wp-content/uploads/2021/01/GuiasGOLD-espanol_012721_WMV.pdf
https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/abril/02/pcdt-doenca-pulmonar-obs-cronica-livro-2013.pdf
BR-11642. Material destinado a pacientes. Mar/21
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.