É possível ter uma vida normal com Asma Grave?

Asma ainda não tem cura, mas tem controle. Segundo dados da Global Initiative for Asthma (GINA), cerca de 5 a 10% do total de asmáticos lidam com uma forma mais grave da doença. Isso quer dizer, que precisam de mais medicamentos para controlar seus sintomas e necessitam de atenção especial, entretanto, com alguns cuidados, é possível SIM ter uma vida normal, mesmo com asma grave.

Para isso acontecer, o autoconhecimento e a informação sobre a sua condição são essenciais e devem acompanhar todo o tratamento.  

Grande parte das pessoas que tem asma acreditam que a doença está controlada, quando na verdade não está. O fato é que a maioria já se acostumou com os sintomas da doença e acreditam que essa é a normalidade da sua vida.

Alguns fatores que explicam a persistência do impacto negativo da asma na rotina das pessoas são: o pouco conhecimento sobre a doença, o não reconhecimento da asma como doença crônica que requer uso contínuo e controlado de medicação, as dificuldades na compreensão e realização da técnica inalatória de forma correta, o medo dos efeitos adversos dos medicamentos indicados para o tratamento, a subestimação do potencial de gravidade da asma e falta de plano de ação em caso de crise.

O descontrole da asma pode ser grave, por isso, é muito importante que pacientes com asma e/ou cuidadores e familiares, principalmente no caso de crianças, tenham conhecimento sobre os cuidados necessários e apreendam como reconhecer uma crise no seu início.  

O tratamento da asma se divide em dois estágios: para crises ou exacerbações e para o controle da doença ou prevenção a ocorrências de crises. O tratamento preventivo é baseado em uma estratégia gradual, ou seja, quando a doença apresentar sintomas mais fortes, o paciente poderá aumentar a dose do medicamento ou modificar o tratamento. Quando apresentar sintomas mais leves, na maioria das vezes, poderá reduzir a dose.

Vale ressaltar, que as orientações sobre a estratégia gradual devem ser realizadas com uma parceria de confiança e diálogo com o seu médico.

Abaixo seguem alguns pontos essenciais para manter sua asma controlada:

  • Aprenda e reconheça como funciona sua doença. Saiba reconhecer uma possível crise no seu início;
  • Reconheça os sinais de que uma crise está piorando e se é necessário ir à emergência;
  • Procure conhecer as causas de suas crises e afastá-las quando possível;
  • Adote e execute novas medidas de higiene do ambiente, para evitar fatores desencadeantes (alérgicos ou não) e aumentar o seu controle da doença;
  • Conheça seus medicamentos, para que servem, efeitos adversos e como usá-los adequadamente;
  • Em casos indicados recorra a condicionamento respiratório e fisioterapia.

Lembrando que essas informações podem te auxiliar no tratamento da doença, mas que devem ser discutidas. Quando for à consulta sempre lembre de contar ao médico quando foi sua última crise, medicamentos que tem usado para controle da asma, se apresentou despertar noturno pela asma e se está conseguindo fazer as atividades diárias. Somente ele pode indicar o melhor tratamento para o seu caso, ok?

Há alguns casos em que a asma pode ter uma remissão espontânea ou induzida pelo tratamento. Costuma-se falar que a asma está em remissão quando não há mais sintomas e as medidas de função dos pulmões estão normalizadas ou próximo disso por mais de um ano.

Se a remissão for duradoura e persistir por vários anos ou por toda a vida, o paciente pode achar que está totalmente curado. Entretanto, como a predisposição genética para desenvolver a asma continua presente e estamos sempre expostos a vários fatores (alérgicos ou não) que causam a manifestação da doença, não há como saber se o paciente que entrou em remissão permanecerá assim por muitos anos ou não.

Por isso evitamos falar em “cura da asma”. Mas ela tem controle!

O paciente com asma pode ter uma vida normal sem sintoma, tendo sua doença controlada totalmente. Vale lembrar que, o estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), revelou que atividades físicas é um grande aliado para o tratamento da asma. Assim como as medidas de higiene e controle de fatores ambientais.

Vem saber mais! Atividades físicas podem fazer bem para sintomas de asma

A Asma é uma doença inflamatória. Por isso, é necessário tratar a inflamação, que é a causa da doença, para ter um melhor controle da doença. Se sentir necessidade de usar a sua medicação de resgate mais que 3X/semana, procure seu médico, talvez seja necessário ajustar seu tratamento.

   

   

 

 

 

Referências:
https://ginasthma.org/about-us/faqs/
https://ginasthma.org/wp-content/uploads/2020/04/Main-pocket-guide_2020_04_03-final-wms.pdf
http://asbai.org.br/orientacoes-para-o-bom-tratamento-da-asma/
https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/exercicios-fisicos-podem-ajudar-no-combate-aos-sintomas-da-asma/
BR-10929. Material destinado a pacientes. Nov/2020
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.