Gastrite X Refluxo: qual é a diferença?

 

Sabe aquela azia e sensação de queimação no estômago? Ela pode estar associada a gastrite ou refluxo. Você sabe a diferença entre as duas doenças?

Sentir mal-estar, sensação de estômago cheio ou queimação pode até não ser novidade para muitas pessoas, mas o que poucas delas sabem é que sentir dores no estômago após exagerar em alguma refeição nem sempre é normal.

Em alguns casos, o que parece ser apenas um mal-estar pode esconder os primeiros estágios da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) ou da gastrite.

Apesar dos sintomas parecidos, as duas patologias são bem diferentes e, por isso, é preciso ficar atento para evitar complicações e, principalmente, ter o tratamento inadequado da doença.

Confira, ao longo do texto, como funcionam as duas doenças, os possíveis tratamentos e quais cuidados os pacientes precisam ter em relação as duas patologias.

O que é o Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE)?

A Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia (SBMDN), define a DRGE como uma condição que se desenvolve quando o conteúdo do estômago retorna ao esôfago, cuja mucosa não está preparada para receber substâncias ácidas e irritantes, e que também pode alcançar a boca, provocando sintomas desagradáveis ou complicações como alterações dentarias, ou atingir a laringe e os pulmões.

É muito comum ouvir falar sobre o refluxo em crianças pequenas, que podem apresentar episódios em virtude da fragilidade dos tecidos existentes na transição entre o estômago e o esôfago. Na maioria dos casos, o problema desaparece espontaneamente.

Segundo os dados da SBMDN, a doença do refluxo é um dos diagnósticos mais comuns na gastroenterologia e afeta certa de 12% A 20% da população, o que corresponde aproximadamente 20 milhões brasileiros.

Os sintomas da DRGE são divididos em dois tipos: típicos e atípicos.

Sintomas típicos:

  • Azia ou queimação que se origina no estômago e pode atingir a boca;
  • Tosse seca devido à irritação das mucosas;

Sintomas atípicos

  • Dor torácica não cardíaca (DTNC)
  • Doenças pulmonares frequentes como asma, pneumonia e bronquite;
  • Tosse crônica, fibrose pulmonar idiopática e apneia do sono.

A identificação e diagnóstico da doença do refluxo podem ser realizados por diversos métodos, entre eles, a anamnese (entrevista em que o paciente relata todos os fatos que o relaciona a doença), o raio-X, a endoscopia digestiva e a pHmetria. 

Após a confirmação do diagnóstico, é essencial seguir todas as recomendações do médico para o tratamento, que pode ser clínico ou cirúrgico.

O clínico inclui a administração de medicamentos que diminuem a produção de ácido pelo estômago e melhoram a motilidade do esôfago para favorecer o esvaziamento gástrico.

Paralelamente, o paciente recebe orientação para perder peso, evitar alimentos e bebidas que agravam o quadro (como gordura e cafeína), fracionar a dieta e praticar exercícios físicos.

Já para os casos em que cirurgia é necessária, ela pode ser realizada por laparoscopia e está indicada nos casos de hérnia de hiato, para os pacientes que não respondem bem ao tratamento clínico ou é necessário confeccionar uma válvula antirrefluxo.

A cirurgia é um procedimento muito indicado quando a repetição do refluxo provoca esofagite grave.

O que é gastrite? Quais as suas causas e sintomas?

O Ministério da Saúde, define a gastrite como uma inflamação do revestimento interno do estômago. Essa alteração pode ser caracterizada ou crônica. Se a gastrite crônica não for tratada, pode durar por anos ou até mesmo uma vida inteira.

A gastrite pode acometer toda a mucosa estomacal ou parte dela. Pode provocar inflamação intensa, sem destruir o revestimento do estômago, ou resultar numa inflamação leve, mas acompanhada de lesão na parede do órgão e perda da mucosa estomacal.

Segundo o Manual MDS, a gastrite pode ser dividida em duas categorias, dependendo de sua gravidade:

Gastrite erosiva

Esse é o tipo de gastrite mais grave e consiste na inflamação e corrosão do revestimento gástrico. Geralmente, ela se desenvolve subitamente (chamada gastrite erosiva aguda), mas também pode se desenvolver lentamente (chamada gastrite erosiva crônica), normalmente em pessoas que, com exceção da gastrite, são saudáveis. Confira as características desses dois tipos de gastrite:

  • AGUDA: aparecimento súbito, evolução rápida e facilmente associada a um agente causador como medicamentos, infecções e estresse físico ou psíquico.
  • CRÔNICA: os sintomas são mais difíceis de serem detectados e ela pode ser desencadeada por uma série de fatores somados entre si, como a bactéria Helicobacter pylori e até mesmo a bile que o fígado descarrega na porção inicial do intestino delgado.

Gastrite não erosiva

Esse tipo de gastrite é caracterizado por alterações no revestimento gástrico que variam de desgaste (atrofia) do revestimento gástrico até a transformação do tecido gástrico em outro tipo de tecido intestinal (metaplasia). Frequentemente, diversos tipos de glóbulos brancos se acumulam no estômago e causam diversos graus de inflamação. Os glóbulos brancos podem causar inflamação em todo o estômago ou apenas em algumas partes.

Os tipos específicos de gastrite podem ser causados por vários fatores como infecções, o estresse decorrente de doença grave, lesões, alguns medicamentos e distúrbios do sistema imunológico.

Certamente você já deve ter ouvido falar sobre gastrite nervosa. Muitas pessoas acreditam que esse é um tipo de gastrite. No entanto, é apenas um fator que pode ocasionar essa doença.

Segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), cerca de 70% da população brasileira apresenta algum tipo de gastrite e uma das suas manifestações mais comuns é a chamada gastrite nervosa, conhecida como dispepsia funcional, que pode apresentar diversos sintomas parecidos com a gastrite normal.

O Mistério da Saúde, esclarece que alguns dos sintomas da gastrite são:

  • Dor de estômago intensa;
  • Azia;
  • Indigestão;
  • Sensação de estufamento;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômito;
  • Presença de sangue nas fezes e no vômito.

O diagnóstico da gastrite baseia-se no exame físico e na análise da história clínica do paciente. O médico poderá solicitar exames de raios-X, endoscopia e biópsia, por exemplo.

O que deve ser evitado quando se tem refluxo ou gastrite

Realizar o tratamento conforme as orientações do médico é essencial para evitar sentir os sintomas do refluxo ou da gastrite. Além dos medicamentos prescritos por um médico, é possível controlar o problema mudando a alimentação e melhorando o estilo de vida. Confira algumas orientações do Ministério da Saúde:

  • Respeite os horários das refeições. Separar algum tempo para café da manhã, almoço e jantar tranquilos não é luxo, é necessidade;
  • Prefira fazer pequenas refeições ao longo do dia a fazer uma grande refeição depois de muitas horas em jejum;
  • Mastigue bem os alimentos, pois a digestão começa na boca;
  • Dê preferência a frutas menos ácidas, verduras e carnes magras;
  • Fique longe do cigarro;
  • Evite tomar analgésicos, café, bebidas alcoólicas e as que contêm cafeína.

Lembre-se que é importante seguir as recomendações do médico.

Esperamos ter ajudado a entender a diferença entre a gastrite e o refluxo gastroesofágico. Lembre-se sempre de consultar o seu médico e nunca abandonar o tratamento indicado sem orientação, ok?

Faça seu cadastro no programa e descubra o que FazBem pode oferecer para o seu tratamento.

 

 Referências
https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/refluxo-gastroesofagico-drge/
https://www.clinicagastroservice.com.br/blog/refluxo-ou-azia-quais-as-diferencas-e-tratamentos-mais-adequados/
https://ccr.med.br/gastrite-e-ulcera-entenda-os-sinais-a-diferenca-entre-elas-e-saiba-como-evita-las/
https://blog.programafazbem.com.br/post/dores-de-estomago-frequentes-fique-atento-aos-sintomas-da-drge
https://blog.programafazbem.com.br/post/voce-sabe-o-que-e-refluxo
http://www.sbmdn.org.br/doenca-do-refluxo-gastroesofagico-drge/
https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-digestivos/gastrite-e-%C3%BAlcera-p%C3%A9ptica/gastrite
https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/gastrite/
https://www.reviders.com.br/index.fcgi/edicoes/editoria/doenca-da-vez/na-pressao-14/#:~:text=Segundo%20a%20Federa%C3%A7%C3%A3o%20Brasileira%20de,parecidos%20com%20a%20gastrite%20normal.
https://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2575-refluxo-gastroesofagico

 

BR-11794. Material destinado a pacientes. Mar/2021.
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.