Jovens e mulheres também podem ter arritmia cardíaca?

Para que nosso corpo consiga transportar oxigênio e nutrientes da maneira adequada, é fundamental que o coração bata sempre no ritmo certo. Quando isso não acontece, é sinal de que uma arritmia cardíaca está se manifestando. Caso ela não seja tratada, a doença pode acarretar sérias complicações, como o ataque cardíaco, a insuficiência cardíaca e o derrame.

É uma crença comum entre a população de que as doenças cardíacas afetam apenas idosos e homens com hábitos de vida inadequados. Porém, na realidade, pessoas de qualquer grupo estão sujeitas a desenvolver um quadro de arritmia cardíaca: o que varia é o risco de cada um desses grupos.

Segundo um levantamento feito pelo Hospital do Coração (HCor), 42% dos pacientes que deram entrada com algum tipo de arritmia cardíaca eram do sexo feminino. Quanto às faixas etárias, 50% dos pacientes tinham entre 45 a 74 anos e 27% tinham mais de 75 anos. Já os pacientes com idades entre 30 e 44 anos somaram 13%, 15 a 29 anos 7% e menores de 15 anos 3%.

De acordo com esses dados, podemos concluir que pouco menos da metade dos pacientes eram mulheres. Já quando o assunto é faixa etária, ainda que os jovens sejam os menos afetados pela doença, os riscos de desenvolvê-la ainda são bastante significativos.

Desse modo, é muito importante que pessoas de todas as idades tomem atitudes a fim de controlar os fatores de risco da arritmia cardíaca, como parar de fumar, diminuir a ingestão de álcool, controlar o diabetes, a hipertensão, a dislipidemia e o peso corpóreo e evitar, sempre que possível, situações muito estressantes.

Também é importante ficar atento aos sinais. Os incômodos da arritmia cardíaca costumam aparecer e desaparecer de maneira repentina, mas também há casos de pacientes que não apresentam sintomas. Confira a lista a seguir:

  • Falta de ar;
  • Dores no peito;
  • Excesso de suor;
  • Sentir o coração lento ou acelerado;
  • Desmaio súbito;
  • Palpitações;
  • Tontura;
  • Ansiedade;
  • Palidez.

Ao perceber a presença de qualquer um dos sintomas listados acima, procure o seu cardiologista imediatamente.

Gostou das informações? Faça o seu cadastro no FazBem e receba mais informações para apoiá-lo no seu tratamento.

 

 

 

Referências:
www.ladoaladopelavida.org.br/arritmia-cardiaca-o-que-e-doencas-cardiovasculares
www.hcor.com.br/imprensa/noticias/cardiologista-do-hcor-explica-os-tipos-e-riscos-da-arritmia-cardiaca/
www.tjdft.jus.br/informacoes/programas-projetos-e-acoes/pro-vida/dicas-de-saude/pilulas-de-saude/arritmias-cardiacas
www.blog.saude.gov.br/promocao-da-saude/32286-arritmia-cardiaca-tem-diversas-causas-e-pode-desencadear-avc-e-infartos
https://ladoaladopelavida.org.br/arritmia-cardiaca-fatores-de-risco-doencas-cardiovasculares
Icons by The Noun Project
BR-9709. Material destinado a pacientes. Ago/2020
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.