Posso abandonar meu tratamento para asma se não tiver mais crises?

homem-respirando-natureza

homem-respirando-natureza 

 Sentir melhora das crises de asma é um alívio que todo mundo que convive com a doença gostaria de ter. Se a sua asma está controlada, parabéns! Isso quer dizer que você está no caminho certo e cuidando da sua saúde corretamente. 

Agora que você está se sentindo melhor, pode ser que esteja se perguntando: posso abandonar meu tratamento para asma já que não tenho mais crises?

 O objetivo do tratamento da asma é mantê-la sob controle para que você possa manter a função pulmonar estável, realizar atividades diárias e exercícios físicos sem limitações, além de diminuir a frequência e a intensidade das crises.

 Para atingir esse objetivo, é necessário que você entenda a sua doença, consiga identificar e evitar os fatores desencadeantes, monitore frequentemente os seus sintomas e sua função pulmonar e use adequadamente as medicações prescritas.

 Portanto, a resposta curta para a pergunta é não, mas vamos entender melhor porque essa não é a melhor escolha, ainda mais se você está se sentindo melhor e tem menos crises ultimamente.

 A asma é uma doença crônica

De acordo com a Iniciativa Global para Asma (GINA), a asma é uma doença crônica que causa uma inflamação das vias respiratórias, o que as deixa mais estreitas e dificulta a respiração. E se é uma doença crônica, precisa de tratamento contínuo.

 Também é importante que você entenda que a sua asma é uma doença variável, que se comporta de diferentes maneiras ao longo da vida. Ela muda com o tempo e mesmo quando você não tem conhecimento de nenhum sintoma, é possível que ocorra a piora da inflamação (que é a base da doença).

 Quando você está se sentindo bem e esquece ou decide parar de tomar seus medicamentos de manutenção (anti-inflamatórios) – ou seja, que tratem a inflamação nas vias aéreas – pode ser que você tenha piora dos sintomas, e aumente o risco de crises mais graves.

 Basicamente, os anti-inflamatórios são um medicamento de manutenção que age para que você possa continuar fazendo tudo que deseja fazer sem que os sintomas da asma atrapalhem.

 Se você realizar o tratamento de manutenção corretamente de acordo com a orientação do seu médico, as chances de ser impactado com os gatilhos usais da asma diminuem - o que significa menos sintomas. Isso também significa que é menos provável que você precise usar sua medicação de alívio (os broncodilatadores) com muita frequência.

 

 Quer saber se está usando muito a sua medicação de alívio? Faça o teste!

 Os broncodilatadores, ou medicação de alívio, minimizam os sintomas imediatamente, mas não tratam a inflamação. Ninguém quer sentir que está tomando remédios desnecessariamente, mas para pacientes asmáticos é muito importante continuar usando seu remédio preventivo para que você possa continuar bem.

 Por quanto tempo vou ter que tomar remédios?

 O tratamento para asma é diferente para cada pessoa de acordo com as suas características e preferências, a gravidade da doença e até mesmo o acesso ao tratamento.

Além disso, como você está em constante mudança e a asma também, de acordo com a Recomendações para o manejo da Asma publicado pela Sociedade Brasileira de Pneumologia - SBPT em 2020, as visitas regulares ao seu médico são essenciais para que ele possa ajustar o tratamento com o objetivo de manter o controle da doença com a menor dose possível da medicação de controle ou manutenção.

Lembre-se que o ajuste da dose só pode ser recomendado por um especialista a partir de uma avaliação do seu quadro. Antes de se considerar qualquer aumento ou redução da dose da medicação de controle, é essencial que o seu médico avalie a estabilidade da asma (o que significa controle atual e ausência de crises graves no último ano), da adesão ao tratamento, do controle das comorbidades, do risco de crises, da exposição ocupacional e ambiental, da etapa do tratamento e dos potenciais efeitos adversos da medicação.

Tenha um plano de ação por escrito

O plano de ação é uma ferramenta importante para o manejo da sua asma. Ele ajuda você a reconhecer melhor o seu tratamento e deve ser construído em parceria entre você e o seu médico. 

Um bom plano de ação envolve educação para monitorar os sintomas, reconhecimento precoce da exacerbação e estratégias que irão orientá-lo para o tratamento domiciliar das crises. Ele também deve ser dividido em quatro tópicos:

  Tratamento de manutenção da asma no dia a dia; 

  Quando, como e por quanto tempo usar a medicação de resgate;

  Quando aumentar a medicação de controle e usar corticoide oral

  Quando procurar auxílio médico de emergência ou urgência.

Além disso, todo plano de ação deve incluir as definições de controle da asma.

Se os seus sintomas melhorarem por 12 semanas, você pode perguntar ao seu médico sobre como reduzir os medicamentos. Ele, então, vai revisar quais sintomas você está tendo e com que frequência, quaisquer efeitos colaterais, há quanto tempo está fazendo o tratamento atual e como está se sentindo agora. 

 Quando o tratamento de longo prazo precisa ser ajustado, isso deve ser feito de forma muito gradual. As doses devem ser reduzidas lentamente, ao longo de vários meses. É importante termos um tempo correto para a resposta do tratamento adequado. A redução lenta também evita efeitos colaterais desagradáveis e permite a observação cuidadosa para que a asma não piore.

 Deu para entender, né? Nunca pare de tomar seus medicamentos repentinamente. Sempre fale primeiro com o seu médico e siga suas orientações. Tome o controle do seu tratamento e tenha mais qualidade de vida, mesmo com asma.

 Tenha mais informações e apoio ao seu tratamento com o Programa FazBem. Faça seu cadastro! 

 

 
 
Referências:
https://ginasthma.org/about-us/faqs/

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132006001100002

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/especialidades/nucleo-doencas-
pulmonares-toracicas/Paginas/asma.aspx


https://www.asthma.org.uk/advice/severe-asthma/treating-severe-asthma/how-is-severe-asthma-treated/

https://www.asthma.org.uk/advice/inhalers-medicines-treatments/common-concerns/

https://www.asthmafoundation.org.nz/your-health/living-with-asthma/asthma-medication/prednisone

2020 Brazilian Thoracic Association recommendations for the management of asthma (scielo.br)
BR-11899. Material destinado a pacientes. Mar/2021

 

Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.