Remédios caseiros para refluxo: mito ou verdade

desenho_esto_menestomago_homem

Água com limão, chá de camomila, suco de babosa... Se você foi diagnosticado com refluxo, certamente já deve ter ouvido ou ainda vai ouvir algumas sugestões de tratamento caseiro para curá-lo.

Pode ter sido indicação de uma tia, amigo, vizinha ou até mesmo dicas na internet. Afinal, o que mais vemos nas redes sociais e Google são receitas práticas e caseiras para tratar algum problema que afeta uma grande parte da população.

O refluxo gastroesofágico entra nesse cenário. Segundo a Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia, cerca de 12% a 20% da população brasileira possui o diagnóstico de refluxo.1

Além disso, se você fizer uma busca rápida no Google sobre “tratamento caseiro para refluxo” encontrará mais de 50 mil resultados, ou seja, o que não faltam são dicas sobre esse tema no mundão da internet. Mas isso também nos leva a inúmeros métodos que podem ser prejudiciais para o nosso organismo. 2

Antes de mais nada, você sabe o que é esse tal de refluxo gastroesofágico? Acompanhe!

O que é refluxo gastroesofágico?

Quando comemos algo, o bolo alimentar chega até o estômago por meio de um canal, o esôfago. 1,3

No final deste canal, existe um músculo chamado esfíncter esôfago inferior. Ele funciona como uma porta que está sempre fechada para que o ácido estomacal não volte para o esôfago. 1,3

O refluxo gastroesofágico, conhecido popularmente como azia, ocorre justamente quando há retorno involuntário e repetitivo do conteúdo do estômago para o esôfago. 1,3

Muitas pessoas não sabem o que é refluxo, pois há uma suposição de que essa é uma condição natural de crianças pequenas. 1,3

Isso porque é muito comum que bebês e crianças pequenas apresentem episódios de refluxo devido à fragilidade dos tecidos existentes nos canais entre o estômago e o esôfago. Nesses casos, não há com o que se preocupar, pois, geralmente, o problema desaparece espontaneamente. 1,3

Ao contrário do que as pessoas imaginam, o refluxo também pode ocorrer em adultos.

Depois de uma refeição farta, fica fácil identificar os sinais que nosso corpo manda para nos avisar que exageramos. Possivelmente, todo mundo já passou por uma situação parecida: sentiu aquele gosto amargo ou ácido na parte baixa da garganta, uma queimação na região inferior do osso do peito. Esses são alguns dos sinais de que o conteúdo estomacal voltou para o esôfago. 1,3

Segundo a Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia, os sintomas de refluxo são divididos em dois tipos, típicos e atípicos:¹

Sendo considerados sintomas típicos

  • Pirose: também conhecida como azia, é a sensação de queimação na região central do peito, que pode irradiar da parte superior do estômago até o pescoço.
  • Regurgitação: definida como a percepção do fluxo do conteúdo gástrico refluído para boca. 1

São considerados sintomas atípicos:

  • Dor torácica não cardíaca (DTNC)
  • Globus faringeus (sensação de bolo na garganta)
  • Falta de ar
  • Tosse crônica
  • Fibrose pulmonar idiopática (cicatrizes no pulmão)
  • Apneia do sono1

Quando esses sintomas aparecem de forma ocasional e esporádica, são considerados normais. No entanto, se eles aparecem com frequências e são intensos podem caracterizar a doenças do refluxo gastroesofágico (DRGE).

Quer saber mais detalhes sobre a DRGE? No blog do FazBem você encontra um conteúdo completo com todos os detalhes sobre a doença. Acesse e confira!

Tratar o refluxo com remédios caseiros. Cuidado com o que lê por aí!

Você já ouviu falar de algum chá milagroso para curar refluxo? Ou algum alimento que ajuda a combater os sintomas? Será que eles são mitos ou verdade?

As promessas de curas milagrosas não são novidades e já circulavam no século XIX, conforme mencionado na matéria “os perigos dos remédios falsos” do portal de notícias da BBC. A diferença é que, hoje, no século XXI, essas mensagens e informações sem base científica são propagadas e circulam amplamente de forma muito mais rápida pela internet. 4

Ao receber o diagnóstico de uma doença crônica, é importante tentar entender como vai funcionar o tratamento e o novo estilo de vida. Não é uma tarefa fácil, mas é extremamente importante.

Apesar de, aparentemente, serem uma solução mais fácil, é importante lembrar que os tratamentos naturais e caseiros, em muitos casos, não possuem bases cientificas.

Em entrevista para o portal de notícias “Drauzio”, o Dr. Anthony Wong, médico pediatra e toxicologista do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, ressaltou ser importante desmistificar o mito de que os produtos naturais não fazem mal, pois eles podem sim, fazer muito mal à saúde. 5

Vale ressaltar que, segundo o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), pessoas que costumam ter o hábito de consumir chás devem ficar atentos, pois a ação medicamentosa entre os chás e medicamentos para o tratamento da doença, que ocorre nesse processo pode trazer consequências danosas para a saúde. 6

Diante desse cenário. é importante lembrar que a adesão ao tratamento recomendado por um médico é a forma mais segura para garantir o cuidado e a proteção a saúde.

Por isso, caso tenha sido diagnosticado com o refluxo ou suspeite de algum problema de saúde, busque ajuda de profissionais da saúde e sempre busque orientações junto ao médico.

Quer saber mais detalhes sobre o refluxo? Acesse o Blog do FazBem.

Confira, também, todos os detalhes sobre a importância da adesão ao tratamento no blog do FazBem. Acesse a matéria aqui!

 

Referências
  1. http://www.sbmdn.org.br/doenca-do-refluxo-gastroesofagico-drge/
  2. https://www.google.com/search?q=tratamento+caseiro+para+refluxo&oq=tratamento+caseiro+para+refluxo&aqs=chrome..69i57j0i512l3j0i22i30.4634j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8
  3. https://bvsms.saude.gov.br/refluxo-gastroesofagico/
  4. https://www.bbc.com/portuguese/geral-47453291
  5. https://drauziovarella.uol.com.br/entrevistas-2/fitoterapicos-e-remedios-naturais-entrevista/
  6. http://www.cofen.gov.br/uso-de-cha-com-remedio-exige-cautela_5583.html
BR-15407. Material destinado a pacientes, Nov/2021
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.