Sal: qual a relação com a hipertensão arterial e por que deve ser evitado em excesso?

mulher-cozinhando-sal-ovo-hipertensão-evitar

mulher-cozinhando-sal-ovo-hipertensão-evitar

 Se você foi diagnosticado com hipertensão arterial, certamente deve ter ouvido falar sobre o quanto é importante evitar o consumo do sal.

Mas você sabe qual a relação do sal e a hipertensão arterial?

No passado, os hipertensos eram simplesmente proibidos de consumir sal. Hoje, as recomendações não são tão radicais, porque o cloreto de sódio é um mineral indispensável para o funcionamento das células, devendo ser ingerido mesmo por quem sofre de pressão alta.

A verdade é que o consumo deve ser moderado não apenas para quem tem hipertensão arterial, mas para todas as pessoas que querem prevenir de diversas doenças.

O consumo excessivo do sal está relacionado ao aumento no risco de doenças crônicas como doenças cardiovasculares e renais, além da hipertensão arterial.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), o consumo de sal do brasileiro excede em quase duas vezes o limite máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OSM), que é de cinco gramas por dia. De acordo com a pesquisa, a média nacional é de 9,3 gramas.

Mas, por que o sal aumenta a pressão arterial? Como ele reage no nosso organismo? Confira, ao longo do texto, qual a relação entre o sal e a hipertensão arterial.

Hipertensão: uma doença silenciosa

A hipertensão é considerada um problema de saúde pública e a Organização Mundial da Saúde alerta para os números alarmantes, pois a doença afeta mais de 30% da população adulta em todo o mundo, ou seja, mais de um bilhão de pessoas.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS), popularmente conhecida como pressão alta, é uma doença caracterizada pela elevação dos níveis de pressão arterial (PA).

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, os níveis de pressão de 120/80 mmHg são considerados ideais para a população adulta. Quando essa pressão persiste maior que 140/90 mmHg, é considerada alta e um médico especialista dever ser consultado.

Na maior parte dos casos, a pressão alta não tem uma única causa bem definida e não apresenta sintomas, por isso, é considerada um inimigo invisível.

É importante ressaltar que a hipertensão arterial é uma doença que pode levar a complicações irreversíveis, especialmente com as doenças cardiovasculares, por exemplo, infarto do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC).

A hipertensão pode surgir em qualquer fase da vida e tem mais chances de se desenvolver em indivíduos com histórico de fatores de risco como o sobrepeso, tabagismo, sedentarismo, consumo de álcool e alimentação inadequada.

O consumo de sal também é considerado uns dos fatores para o desencadeamento da patologia.

O que é o sal?

O sal de cozinha ou sal é um mineral comum e um condimento milenar composto basicamente por sódio e cloro (cloreto de sódio).

O sódio é um nutriente essencial ao organismo, mas que pode ser prejudicial se for consumido tanto em excesso, quanto de forma escassa. Cerca de 10% do sódio ingerido tem origem no conteúdo natural dos alimentos e o restante é proveniente de adição, durante a fabricação de alimentos processados ou quando na sua preparação.

Afinal, por que o sal faz mal?

Ao ser consumido demasiadamente, o sal faz com que o organismo retenha líquido, levando a uma sobrecarga no sistema circulatório, prejudicando os rins e contribuindo para o aumento da pressão sanguínea.

Você deve estar se perguntando: será que é importante reduzir o sal mesmo?

Segundo os dados de uma pesquisa realizada com a  população portuguesa, se cada pessoa consumisse menos 2g de sal por dia, a taxa de AVC cairia entre 30 e 40% nos 5 anos seguintes.

Vale ressaltar, também, que, em todo o mundo, o consumo excessivo de sal é responsável por 2,3 milhões de mortes por ano, devido a doenças cardiovasculares.

Vimos que diminuir o consumo do sal é importante, então que tal algumas dicas simples que você pode adotar para reduzir o sal nas refeições?

Confira as dicas para reduzir o sal:

  • Adicione menos sal aos pratos;
  • Evite utilizar temperos prontos e alimentos processados;
  • Opte por alimentos grelhados como carne, peixe e frango;
  • Substitua o sal por uma maceração de ervas frescas, azeite e um pouco de alho para temperar carnes vermelhas e brancas;
  • Substitua os molhos prontos por molho de iogurte.

A relação entre o sal e a hipertensão

Apesar de ser um dos temperos mais utilizados no mundo todo, o alto consumo de sal tem sido reconhecido como prejudicial para a saúde.

As populações que possuem baixa ingestão de sódio praticamente não apresentam casos de hipertensão e as taxas de doenças renais e cardiovasculares são baixas. Em oposição, sociedades que consomem sal excessivamente apresentam níveis cada vez maiores de hipertensão e doenças cardiovasculares.

Quando há excesso de sódio na corrente sanguínea, há um estímulo para que haja aumento da quantidade de água dentro dos vasos sanguíneos. Com um volume maior de sangue fluindo através de seus vasos sanguíneos, a pressão arterial aumenta. O aumento crônico da pressão arterial provoca lesões nas paredes dos vasos sanguíneos, principalmente aquelas de pequeno calibre. Cérebro, olhos, coração e rins são órgãos especialmente suscetíveis às doenças provocadas pela hipertensão.

Segundo o estudo publicado no periódico Brazilian Journal Of Medical and Biology - “Relação entre o consumo de sal medido por coleta de urina de 24h e pressão arterial em adultos”, indivíduos com hipertensão arterial tiveram uma estimativa de consumo de sal mais elevado do que o estimado para os de pressão considerada normal, independentemente de estarem em tratamento.

Além de causar hipertensão arterial, a dieta rica em sódio também interfere na eficácia dos medicamentos anti-hipertensivos, tornando o controle da pressão arterial por meio de remédios mais difícil.

O paciente hipertenso que não limita o seu consumo de sal costuma precisar de mais remédios e doses mais elevadas para conseguir baixar a pressão.

A boa notícia é que é completamente possível fazer o controle da doença e reduzir o consumo do sal. Vale lembrar que para reduzir o sal é preciso disciplina, pois é um momento de adaptação e nem sempre é fácil.

Para prevenir e reduzir a pressão arterial é preciso reduzir o consumo de sal. Não há atalhos.

Lembre-se que é importante fazer as consultas regulares ao seu médico de confiança para fazer os exames e receber as orientações corretas para tratamento de possíveis doenças e a manutenção da sua saúde.

Compartilhe, também, esse texto para que outras pessoas possam saber como se cuidar!

Para mais informações, confira mais matérias sobre esses e outros temas no blog do FazBem.

 

 
 
Referências:
  1. https://drauziovarella.uol.com.br/drauzio/artigos/relacao-entre-o-sal-e-pressao-alta-artigo/
  2. http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/54101-brasileiro-consume-muito-sal-mas-nao-tem-consciencia-da-quantidade-excessiva
  3. https://www.paho.org/pt/campanhas/dia-mundial-da-hipertensao-2020
  4. https://www.sbn.org.br/orientacoes-e-tratamentos/doencas-comuns/hipertensao-arterial/
  5. https://saude.abril.com.br/medicina/hipertensao-causas-sintomas-diagnostico-e-como-baixar-a-pressao/
  6. https://saude.to.gov.br/noticia/2016/4/26/reduzir-o-consumo-de-sal-pode-ajudar-a-prevenir-a-pressao-alta/
  7. https://www.sphta.org.pt/pt/base8_detail/25/105
  8. https://www.mdsaude.com/hipertensao/sal/
  9. http://www.blog.saude.gov.br/entenda-o-sus/50160-consumo-excessivo-de-sal-esta-associado-a-hipertensao
BR-12307. Material destinado a pacientes. Abr/21
 
 
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.