Vamos falar de alimentação para quem tem refluxo gastroesofágico?

Se você sofre de refluxo gastroesofágico sabe o quanto as refeições podem ser um momento de muitas dúvidas. “Será que posso comer isso?” é uma questão constante nessas horas. O que você come tem um papel muito importante no seu tratamento e pode contribuir ou prejudicar o seu bem-estar.

É claro que isso pode variar muito de pessoa para pessoa. É possível que uma combinação de abordagens e algumas tentativas e erros sejam necessárias até que você encontre a dieta certa para o seu caso. Converse com seu médico ou nutricionista sobre isso.

Não desanime! Para ajudá-lo, separamos algumas informações sobre alimentação para quem tem doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).

Identificando gatilhos

O primeiro passo para realizar mudanças na sua dieta é saber que alguns alimentos funcionam como gatilhos, que podem desencadear ou piorar os sintomas. Alguns exemplos de itens que são importantes reduzir ou evitar: alimentos ricos em gordura, cafeína, chocolate, cebola, hortelã, pimenta, bebidas gaseificadas, álcool, produtos cítricos e tomate.

Fique de olho no relógio

Quando você come é tão importante quanto o que você come. Um alimento específico que causa refluxo quando ingerido de três a quatro horas antes de dormir pode ser inofensivo no início do dia. No geral, comer imediatamente antes de dormir tende a ser prejudicial. A digestão aumenta a quantidade de ácido gástrico presente no estômago. Esse ácido estomacal somados a uma posição reclinada são uma das receitas para o refluxo. Ou seja, fazer uma refeição completa menos de três ou quatro horas antes de dormir não é aconselhável para quem sofre de DRGE.

Existe dieta específica?

Ainda não existe nenhuma dieta específica para DRGE comprovada, mas alguns alimentos podem ajudar a aliviar ou evitar os sintomas como: frutas não cítricas, proteínas magras como ovo e alguns cortes de carne, como o patinho e o filé mignon, de preferência os  grelhados ou assados, carboidratos complexos como arroz integral, farinha de aveia e raízes vegetais, gorduras mais saudáveis presentes em alimentos como abacate, amendoim, óleo de oliva, salmão e truta.

Evite ingerir álcool

O esfíncter esofágico inferior é responsável por manter a entrada do estômago “fechada”, evitando a passagem do ácido presente no seu interior para o esôfago. O álcool pode enfraquecer essa válvula e desencadear sintomas de refluxo. A quantidade pode variar. Enquanto algumas pessoas podem sentir um aumento nos sintomas após apenas uma bebida, outras podem tolerar quantidades moderadas.

Mantenha uma boa postura durante e após as refeições

É uma boa ideia sentar-se enquanto come e evitar ficar deitado por no mínimo duas horas após fazer uma refeição. Uma dica é levantar-se e caminhar depois de comer. Isso ajuda a estimular o fluxo do suco gástrico na direção certa.

Comer direito para DRGE não significa cortar todos os seus alimentos favoritos. Fazer algumas modificações simples em sua dieta atual costuma ser suficiente para ajudar a reduzir os desconfortos da DRGE.

Tente não ser muito radical e faça mudanças que você consiga manter. O segredo é adotar um estilo de vida mais saudável para sempre e não ter uma dieta radical por um curto período. Além disso, lembre-se sempre de ter acompanhamento de um profissional de saúde e continuar o tratamento como indicado pelo seu médico, ok?

 

Cadastre-se no FazBem, o programa de pacientes da AstraZeneca, para condições especiais no seu tratamento!

 

 

 

 

Referências:
https://www.aboutgerd.org/diet-lifestyle-changes/diet-changes-for-gerd.html Acesso em 29/09/2020.
BR—10214. Material destinado a pacientes. Out/2020
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.