Como conviver melhor com a insuficiência cardíaca em estágio avançado?

Por se tratar de uma condição crônica, a insuficiência cardíaca pode, mesmo com todos os cuidados, evoluir para estágios graves. Com isso, é importante tomar algumas atitudes para encarar a idade avançada de maneira serena e livre de preocupações.

Além disso, é essencial levar em conta as dúvidas dos familiares mais próximos. Caso o seu quadro avance e você fique impossibilitado de tomar decisões relativas ao seu tratamento, serão eles os responsáveis por essas escolhas. Para ajudá-lo a atravessar esse momento com mais tranquilidade e paz de espírito, reunimos alguns conselhos para você se planejar durante os estágios avançados da insuficiência cardíaca.

Contar com ajuda profissional pode ser um dos melhores caminhos para enfrentar as preocupações surgidas durante a velhice. O acompanhamento de um psicólogo poderá lhe ajudar a refletir sobre momentos importantes de sua vida, tomar decisões sobre seu futuro e aceitar sua condição da maneira mais natural possível.

Além das conversas periódicas com seu psicólogo, é importante manter um diálogo aberto com seus familiares mais próximos. Deixe claro quais são as suas vontades e explique como deseja ser tratado caso o seu quadro se agrave.

Para conseguir traçar um plano de tratamento para a insuficiência cardíaca em estágio avançado, você precisa entender todos os detalhes sobre a sua doença. A melhor pessoa para te ajudar nessa tarefa é o seu médico de confiança. Pergunte a ele sobre os tratamentos disponíveis caso sua doença se agrave e tire dúvidas sobre a estabilidade de seu quadro.

Um tratamento de insuficiência cardíaca em estágio avançado pode ser muito caro. Para descobrir quais são os custos desses procedimentos e traçar um plano de gastos, consulte o seu médico ou entre em contato com um consultor financeiro.

O testamento vital é um documento no qual o paciente pode manifestar quais são os seus desejos relacionados aos seus próprios cuidados médicos. Caso o seu quadro se agrave e você fique impossibilitado de guiar os rumos do seu tratamento, seus familiares vão recorrer a esse documento para tomar decisões juridicamente válidas.

Nele, é possível tratar da recusa ou aceitação de procedimentos médicos que prolonguem a vida de forma artificial, expressar o desejo de doar órgãos e nomear um representante legal. Para elaborar um testamento vital, consulte seu médico e peça ajuda a um advogado especializado.

 

 

 

Referências:
www.heartfailurematters.org/pt_PT/Viver-com-insufici%C3%AAncia-card%C3%ADaca/PT-Planning-for-the-end-of-life
Icons by The Noun Project
BR-9390. Material destinado a pacientes. Jul/2020

 

Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.