Ansiedade pode causar crise de asma?

 Você sabia que a ansiedade pode desencadear crises de asma?  

O estado emocional de uma pessoa pode contribuir para o agravamento dos sintomas e crises de diversas doenças, inclusive as respiratórias.

O estresse, por exemplo, está entre os fatores desencadeastes das crises de asma. E, quando a ansiedade começa a apresentar sinais, é comum que os pacientes que possuem asma observem um agravamento do chiado e na dificuldade para respirar.

A piora desses sintomas pode acentuar ainda mais o desequilíbrio emocional, o que pode contribuir para uma crise de asma, tornando-se um ciclo vicioso.

No entanto, é importante ressaltar que a ansiedade é uma doença psicossomática. Ou seja, ela pode ajudar a desencadear as crises de asma, mas as pessoas não desenvolvem o problema respiratório em decorrência da ansiedade.

Se você já foi diagnosticado com asma, deve saber que cuidar do estado emocional é tão importante quanto evitar fatores físicos e ambientais que podem desencadear uma crise de asma.

Descubra qual a relação da asma com a ansiedade e porque ela pode contribuir para desencadear crises respiratórias.

O que é ansiedade

Entende-se a ansiedade como uma sensação de mal-estar, como preocupação ou medo que, em excesso, prejudica o funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal).

A ansiedade estimula a pessoa ficar em alerta, porém, em excesso, pode fazer exatamente o contrário, impedir reações.

Uma pessoa pode se sentir ansiosa a maior parte do tempo sem nenhuma razão aparente ou pode ter ansiedade às vezes, mas tão intensamente que se sentirá imobilizada.

Sentir-se ansioso de vez em quando, por exemplo, quando tiver de fazer uma prova ou quando o filho adolescente chegar tarde em casa, é um comportamento natural e certamente não terá um efeito de longo prazo na vida da pessoa. 

Torna-se prejudicial quando a ansiedade, o medo e a preocupação começam a ser opressores, ou seja, quando começam a ser demais e por motivos desconhecidos. Isso pode dificultar o enfrentamento e ou causar ataques de pânico, comprometendo a rotina e a qualidade de vida.

Os transtornos da ansiedade têm sintomas muito mais intensos do que aquela ansiedade normal do dia a dia. Eles aparecem como:

  • Preocupações, tensões ou medos exagerados (a pessoa não consegue relaxar);
  • Sensação contínua de que um desastre ou algo muito ruim vai acontecer;
  • Preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho;
  • Medo extremo de algum objeto ou situação em particular;
  • Medo exagerado de ser humilhado publicamente;
  • Falta de controle sobre os pensamentos, imagens ou atitudes, que se repetem independentemente da vontade;
  • Pânico depois de uma situação muito difícil.

Já os sintomas físicos da ansiedade podem incluir:

  • Coração acelerado;
  • Músculos tensos;
  • Dificuldade para respirar.

Mas engana-se quem acredita que ansiedade é tudo a mesma coisa. De acordo com o Manual MDS Os transtornos de ansiedade incluem:

  • Transtorno de ansiedade generalizada;
  • Ataques de pânico e síndrome do pânico;
  • Fobia social;
  • Transtornos fóbicos específicos;
  • Entre outros.

É importante entender que existem esses subtipos de ansiedade, pois muitos desses sintomas possuem relação com outras doenças - por exemplo, asma e ataques de pânico - e que muitas vezes as pessoas não sabem que é transtorno de ansiedade.

O que é Asma?

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), a asma é uma das doenças crônicas mais comuns, que afeta pessoas de diversas idades, sendo um problema mundial de saúde e que acomete cerca de 300 milhões de pessoas. Estima-se que, no Brasil, existem aproximadamente 20 milhões de pessoas com asma.

A asma é a inflamação dos brônquios (canais que levam o ar aos pulmões) que pode provocar o broncoespasmo (o fechamento do caminho do ar nos brônquios) dificultando a passagem do ar. As crises comprometem a respiração, tornando-a difícil, provocando sensação de sufoco.

Ainda segundo a SBPT, a asma pode causar os seguintes sintomas:

  • Falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • Sensação de aperto no peito;
  • Chiado no peito;

A relação entre a ansiedade e a asma

Os estudos sobre essa relação são relativamente recentes. A primeira pesquisa foi realizada apenas em 2003 quando um grupo de pesquisadores norte-americano liderado pela Mailman School of Public Health, em parceria com a John Hopkins University, realizaram um estudo sobre a relação das doenças respiratórias e psicológicas.

O estudo demonstrou que há uma clara ligação entre a presença da asma e o aumento do risco de ataques de pânico. Nesse caso, os ataques e as crises respiratórias são ainda mais intensos e persistentes.

Já o estudo mais recente realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em parceria com a Universidade de Newcastle (Austrália), registrou, pela primeira vez, as comorbidades ligadas à asma, entre elas, inatividade física, sedentarismo e ansiedade se destacam como as principais. [9

De maneira geral, o que se viu nesse estudo foi que 24% dos pacientes apresentavam aumento dos sintomas de ansiedade e depressão. A maioria apresentava asma não controlada, mesmo recebendo o tratamento medicamentoso adequado.

Como vai a sua Asma? Faça o teste de percepção do uso da sua medicação de alívio.

Apesar de não serem agentes causadores da doença, o estresse e a ansiedade são gatilhos para a crise de asma nos pacientes que já possuem a doença.

Isso porque as crises de ansiedade podem apresentar dificuldade no controle do ritmo da ventilação, ou seja, a entrada e saída de ar dos pulmões. Já o controle da asma também está relacionado a respiração. Dessa forma, uma crise pode desencadear a outra tornando-as mais frequentes, dificultando o controle da doença.

Sem dizer que, durante um ataque de pânico, por exemplo, fica difícil identificar se são sintomas decorrentes da ansiedade ou de uma crise de asma.

Vale lembrar que, algumas vezes, a crise de ansiedade está relacionada ao tratamento da asma. O medo em excesso diante essa doença pode ocasionar dificuldade do controle da respiração e desencadear uma crise de asma ou tornar uma crise ainda mais intensa.

Tomar medidas para controlar o estado emocional é importante porque pode ser fácil ficar preso em um ciclo vicioso: você se sente ansioso, a ansiedade piora os sintomas de asma e, então, você se sente mais preocupado e ansioso e assim por diante.

Como prevenir as crises de asma e ansiedade?

A melhor forma de prevenir as crises de asma e ansiedade é realizando o tratamento correto para as duas doenças.

É importante lembrar que pessoas que possuem asma, ao longo do tratamento, passam por situações de crises, internações, ajustes de medicações e, às vezes, sentem-se desanimadas diante da situação.

Por isso, é importante o tratamento e acompanhamento com o médico e um psicólogo, quando possível, pois diante de uma situação de desanimo, eles podem ajudá-lo a entender melhor a situação e orientá-lo a como passar por essa fase sem relaxar ou deixar o tratamento de lado.

Cuidar da saúde mental faz toda a diferença para o seu tratamento. Caso você esteja passando por uma situação como essa, não hesite em procurar ajuda de um profissional e conversar com amigos e familiares!

 

 

 
Referências
https://www.asthma.org.uk/advice/manage-your-asthma/emotional-support/anxiety/;
https://consumer.healthday.com/encyclopedia/asthma-and-allergies-4/asthma-news-47/depression-and-asthma-644942.html;
http://www.santalucia.com.br/noticias/situacoes-de-estresse-podem-desencadear-crises-de-asma/#:~:text=O%20estresse%20est%C3%A1%20entre%20os,e%20tornando%2Da%20mais%20dif%C3%ADcil.
http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/470-ansiedade;
https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/asma/#:~:text=Asma%20%C3%A9%20o%20estreitamento%20dos%20br%C3%B4nquios%20(canais%20que%20levam%20ar,respira%C3%A7%C3%A3o%2C%20tornando%2Da%20dif%C3%ADcil;
https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-pulmonares-e-das-vias-respirat%C3%B3rias/asma/asma;
https://sbpt.org.br/portal/espaco-saude-respiratoria-asma/#:~:text=Estima%2Dse%20que%20no%20Brasil,em%20m%C3%A9dia%2C%20350.000%20interna%C3%A7%C3%B5es%20anualmente;
https://consumer.healthday.com/encyclopedia/asthma-and-allergies-4/asthma-news-47/depression-and-asthma-644942.html
https://jornal.usp.br/ciencias/sedentarismo-inatividade-fisica-e-ansiedade-sao-as-principais-comorbidades-ligadas-a-asma/
https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132011000100004
https://www.anamt.org.br/portal/2019/08/01/pesquisa-mostra-que-86-dos-brasileiros-tem-algum-transtorno-mental/
https://cdd.org.br/noticia/respiratorios/ansiedade-e-a-asma/
https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-de-sa%C3%BAde-mental/ansiedade-e-transtornos-relacionados-ao-estresse/considera%C3%A7%C3%B5es-gerais-sobre-transtornos-de-ansiedade
http://www.abrasaopaulo.org/perguntas.asp
BR-12006. Material destinado a pacientes. Maio/2021
 
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.