COVID-19 e diabetes: por que ficar alerta?

mulher-pondo-máscara-covid-diabetes

mulher-pondo-máscara-covid-diabetes

 Após o começo da pandemia e da observação de alguns pacientes, foram determinados alguns grupos de riscos para evolução de formas mais graves de COVID-19. Entre esses grupos estão as pessoas com diabetes, que devem tomar ainda mais cuidado na prevenção do vírus.

O diabetes é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue, devido a não produção de insulina ou a má utilização da insulina produzida. Quando o nível de glicose no sangue sobe, células especiais do pâncreas produzem insulina. Assim, de acordo com as necessidades do organismo no momento, é possível determinar se essa glicose vai ser utilizada como combustível para as atividades do corpo ou será armazenada como reserva, em forma de gordura.

A falta da insulina ou um defeito na sua ação resulta em acúmulo de glicose no sangue, o que chamamos de hiperglicemia.

 Apesar de não ser um vírus, o diabetes é uma doença que causa redução na imunidade. Essa baixa acontece não pela doença em si, mas pela hiperglicemia que pode comprometer o sistema imunológico, deixando você mais suscetível a infecções.

Se você tem diabetes, fique ligado nas informações desse texto e entenda por que você está em um grupo de risco e como cuidar melhor do seu diabetes para passar por esse momento de pandemia com mais saúde.

Riscos da COVID-19 para quem tem diabetes

Riscos de contágio para COVID-19 é igual para pessoas com ou sem diabetes, o problema é que pacientes com diabetes estão mais propensos a desenvolver sintomas mais graves e podem ter uma dificuldade maior no tratamento. Por isso, são considerados pessoas do grupo de risco.

Os sintomas também são similares em todas as pessoas: tosse, dor de garganta, cansaço e dificuldade para respirar, porém a febre pode estar ausente em pessoas com diabetes. Fique atento aos sintomas mais graves da doença: dificuldade para respirar, dor no peito e falta de ar.

Pessoas com diabetes podem, inclusive, precisar de internação hospitalar para receber cuidados e intervenção intensiva. Além disso, o nível de inflamação e de coagulação são mais altos nos pacientes que tem diabetes, o que pode levar a forma grave de COVID-19 mais rápido.

Durante a tentativa de combater a infecção, pode acontecer um descontrole da regulação do açúcar no sangue, que podem gerar complicações como:

  • Aumento exagerado da reatividade do sistema imunológico, aumentando as chances de ocorrerem complicações pulmonares da Covid-19.
  • Estado de hipercoagulabilidade, aumentando ainda mais as chances de tromboembolismos nos pacientes acometidos pela covid-19;
  • Um desequilíbrio metabólico, reduzindo a resposta imune ao vírus.

Para evitar a propagação da COVID-19, vale reforçar os seguintes cuidados SEMPRE:

Lave suas mãos com frequência. Use sabão e água ou álcool em gel.

 Mantenha uma distância segura de pessoas.

Use máscara sempre que precisar sair, mas, se puder, fique em casa.

Evite tocar nos olhos, nariz ou boca.

Cubra seu nariz e boca com o braço dobrado ou um lenço ao tossir ou expirar.


Importância de manter hábitos saudáveis durante a quarentena

Uma pesquisa realizada com 1.700 brasileiros, conduzida por um grupo de instituições nacionais e internacionais, foi publicada na revista Diabetes Research and Clinical Practice e mostrou os impactos da quarentena na rotina de pacientes com diabetes.

Com o passar do tempo de isolamento e uma quarentena que está durando bem mais do que 40 dias, as pessoas com diabetes foram mudando seus hábitos, causando uma piora nos níveis de glicemia do sangue. Alguns pacientes, inclusive, relataram uma dificuldade maior em receber os medicamentos e insumos necessários para controlar o diabetes.

Pessoas com diabetes do tipo 2 controlam menos a glicemia e apresentam outras doenças e complicadores, por exemplo, problemas com a saúde mental, que também se tornou um tema muito importante e de grande impacto após o coronavírus e o isolamento social.

A maioria dos pacientes que participaram da pesquisa (95%) passou a ficar mais tempo em casa e diminuiu a atividade física e os cuidados com a alimentação. É importante manter uma alimentação saudável e a prática de exercícios mesmo em casa, já que essas atividades ajudam a manter a glicemia em níveis seguros.

Veja como comer bem sem gastar muito!

Atenção a glicose

Para evitar problemas como a hipoglicemia e a hiperglicemia, é necessário manter os níveis de glicose sempre na meta estabelecida para você, que varia dependendo de condições gerais de cada paciente e fatores de risco.

Se você estiver em dúvida com relação a esse valor, vale a pena conversar com o seu médico e esclarecer.

Vimos que os hábitos saudáveis são muito importantes durante todo o seu tratamento e para evitar problemas com o COVID. Ou seja, além da medicação, o seu estilo de vida vai influenciar muito no processo do seu tratamento e na evolução ou regressão da sua doença.

A hiperglicemia acontece quando não existe insulina suficiente no organismo ou quando o corpo não a usa apropriadamente. Suas causas podem ser por dose incorreta, se você tiver diabetes tipo 1; dificuldade do corpo para utilizar a insulina que produz, no caso do diabetes tipo 2; excesso de alimentação; falta de exercício físico e estresse.

Saiba mais sobre o que acontece no seu corpo quando você não controla o diabetes!

Um outro fator, chama-se “fenômeno do alvorecer”, que é uma série de hormônios que o corpo produz entre 4h e 5h da manhã e que provocam reação do fígado, com liberação de glicose e preparação do organismo para mais um dia.

Um ponto importante para te ajudar a estar com a glicose na taxa certa é manter sempre a medição frequente com os dispositivos portáteis, os glicosímetros, que você pode adquirir em farmácias. É importante que seu médico te oriente sobre qual modelo comprar e como usar corretamente para que não haja dúvidas.

Atenção:
  • Saiba se sua glicose está alta ou baixa e quando isso ocorre;
  • Avalie o seu estilo de vida e sua medicação agindo sobre a glicemia;
  • Com seu médico, decida as mudanças necessárias para sua glicose permanecer sob controle;

Manter os níveis de glicose na meta pode ser muito desafiador no começo, como qualquer novidade em nossas vidas, mas quando você começa a aprender como controlar corretamente e vê ótimos resultados com o automonitoramento, se torna algo gratificante e animador, deixando o processo mais fácil.

Cuide do diabetes sempre e especialmente nesse momento delicado que estamos vivendo, a sua saúde agradece. Para isso, pode continuar contando com o Programa FazBem para te ajudar. Baixe o app agora e saiba mais!

 

 

 
Referências:
https://www.diabetes.org.br/
https://coronavirus.saude.mg.gov.br/
https://jornal.usp.br/
http://www.mt.gov.br/
https://www.endocrino.org.br/
http://bvsms.saude.gov.br/
https://www.diabetes.org.br/
 
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.