Fast food e alimentos processados: por que é importante ter cuidado com eles

Quem nunca teve vontade de comer um fast food no meio da semana ou recorreu a uma lasanha congelada ou até mesmo para um miojo em um dia corrido, que atire a primeira pedra.

A realidade é que os fast foods e alimentos processados fazem parte da vida de grande parte das pessoas. Neste artigo, vamos conversar sobre as razões do aumento da ingestão de alimentos ultra processados na vida dos brasileiros, como isso é um grave fator para doenças cardiovasculares e o que fazer para reduzir esse consumo.

No Brasil, o consumo de alimentos como sanduiches e pizzas cresceu de 10,5% para 17% de 2008 para 2018. No mesmo período, alimentos naturais muito presentes na dieta do brasileiro tiveram queda no consumo.¹

Os dados acima, fornecidos pelo IBGE, apontam que a comida ultra processada está ganhando cada vez mais espaço, principalmente na vida de adolescentes e adultos¹.

Estilo de vida e o consumo de alimentos processados

A vida agitada faz a escolha de consumir algo rápido e barato, a solução mais prática. Mesmo que sejam alimentos com elevadas quantidades de sal, açúcar e gordura.²

Já é senso comum que uma alimentação com excesso das famosas “besteiras”, seja fast-food ou comida congelada, é prejudicial à saúde quando comparado a “comida de verdade” como verduras, vegetais, grãos e frutas.²

Porém, além da praticidade que comidas ultra processadas oferecem, existe um outro fator decisório: o bolso. É inegável que ter uma alimentação nutritiva no Brasil tem sido um desafio com o aumento dos preços nos supermercados, né?²

Doenças cardiovasculares e comida processada

Uma das consequências mais severas do alto consumo de alimentos super processados são as doenças cardiovasculares. Elas são responsáveis por um terço de todas as mortes em todo o mundo e sabe-se que há uma ligação incontestável entre o consumo desses alimentos em excesso com doenças cardiovasculares. ³

Colesterol, hipertensão e diabetes são os principais fatores para doenças cardiovasculares, como infarto, AVC e trombose. Dentre esses fatores, um dos que geram mais dúvidas é o colesterol. Vamos entender mais sobre ele. 4

Colesterol e alimentos processados

Colesterol é uma gordura que faz parte do nosso organismo e possui funções como participação na produção de vitaminas, por exemplo. Existe duas origens para o colesterol: 75% dele é o próprio corpo que produz e 25% vêm da alimentação, de produtos de origem animal. 5

Ele se torna um fator de risco para doenças cardiovasculares quando seu valor está superior ao valor de 190mg/dl5. Quando isso acontece, o risco de obstrução de artérias aumenta. 5

Colesterol “bom” e colesterol “ruim”

Para que o colesterol, que é uma gordura (ou lipídio), circular pelo sangue, ele precisa estar ligado a uma proteína. Ao se ligar com uma proteína, é formado uma lipoproteína, que pode vir a ter densidade baixa ou alta. 5

Quando essas lipoproteínas têm densidade baixa, são chamadas de LDL, o famoso colesterol “ruim”.

  • As lipoproteínas LDL levam o colesterol para as células, aumentando o risco de depósito que leva a obstrução das artérias e interrompe o fluxo sanguíneo. 5

Já quando essa lipoproteína tem densidade alta, chamamos de HDL, o colesterol “bom”. 5

  • As lipoproteínas HDL transportam o colesterol para o fígado e, de lá, ele será degradado e eliminado do corpo, no fluxo natural. 5

Pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). É recomendado que o consumo de gordura fique entre 50 e 80g por dia para uma pessoa. Para se ter uma ideia, o teor de gordura de um cheeseburguer duplo é de 141 gramas, ou seja, o dobro da quantidade recomendada. 6

Agora que você entendeu como o consumo excessivo de alimentos ultra processados podem levar a doenças cardiovasculares, confira algumas dicas práticas para ajudar no equilíbrio da sua alimentação.

Fazendo mudanças na alimentação

Opte por começar uma reeducação alimentar, idealmente planejada por um profissional. Sua saúde só será afetada quando houver uma transformação contínua e persistente na sua alimentação. Principalmente se você sofre de doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto. 7

A longo prazo, a reeducação alimentar trará muito mais benefícios do que simplesmente tentar cortar, do dia para noite, todo tipo de “besteira” que você tem hábito de consumir. 7

1 - Programe sua alimentação semanalmente

Com essa estratégia, você pode ir em uma feira e encontrar alimentos in natura com preços mais amigáveis. Faça uma lista do que vai comprar e, se possível, vá na hora da xepa para conseguir preços ainda melhores. 8

Fique atento a quantidade de sal e óleo que utiliza na preparação de suas refeições.8

Troque temperos prontos por temperos naturais: salsinha, louro, páprica, coentro, manjericão, alho, entre outros. 8

Reduza a quantidade de frituras: prefira cozinhar ou assar os alimentos.8

2- Comendo fora de casa

Se precisar comer fora de casa, fuja do fast-food. O ideal é se programar e levar algo de casa, feito por você. Porém, existe a opção de restaurantes por quilo que oferecem diversidade em legumes, saladas e vegetais.8

Sabemos que ir na contramão do que é mais prático e barato para você pode não ser fácil no começo, mas conte com as dicas deste e outros posts para te ajudar.

Sofre de colesterol alto e quer se aprofundar no assunto? Confira nossa campanha “Não Vacile com o Colesterol”

No final, vale a pena mudar suas escolhas para uma vida mais saudável.

Referências:
1 – https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101742.pdf
2 - https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-brasil/publicacoes-para-promocao-a-saude/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf/view
3 - https://ourworldindata.org/grapher/share-of-deaths-by-cause Relatório da OMS com a OPAS
4 - https://www.paho.org/pt/topicos/doencas-cardiovasculares#:~:text=A%20causa%20de%20ataques%20card%C3%ADacos,%2C%20hipertens%C3%A3o%2C%20diabetes%20e%20hiperlipidemia.
5 - https://www.portal.cardiol.br/post/sbc-alerta-controle-do-colesterol-%C3%A9-fundamental-para-minimizar-riscos-de-doen%C3%A7as-cardiovasculares#:~:text=O%20colesterol%20elevado%20no%20sangue,l%C3%ADderes%20de%20mortalidade%20no%20Brasil.
6 - https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/246_rotulos_alimentos.html
7 - https://socesp.org.br/sala-de-imprensa/press-releases/alimentacao-saudavel-e-aliada-na-luta-contra-doencas-cardiovasculares/
8 - https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentacao_cardioprotetora.pdf

 

BR-18376. Material destinado a todos os públicos. Jun/2022
Os comentários estão fechados
Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.